Coronavírus

Vai poder devolver os bilhetes de espetáculos de 2020 que foram adiados para 2022

A medida foi aprovada em Conselho de Ministros.

Saiba mais...

Os detentores de bilhetes para espetáculos e festivais inicialmente previstos para 2020, e entretanto adiados para 2022, podem pedir a devolução do seu valor, aprovou esta quinta-feira o Governo, em Conselho de Ministros.

Segundo o comunicado final da reunião desta quinta-feira, "no caso dos espetáculos e festivais inicialmente agendados para o ano de 2020 e que ocorram apenas em 2022, prevê-se que: os consumidores possam pedir a devolução do preço dos bilhetes, no prazo de 14 dias úteis a contar da data prevista para a realização do evento no ano de 2021".

Se o consumidor não pedir a devolução do valor dos bilhetes, "considera-se que aceita o reagendamento do espetáculo para o ano de 2022".

O Governo esclarece que "o mesmo acontece com os vales emitidos com validade até ao final do ano de 2021, que passam a ser válidos até ao final do ano de 2022".

Estas alterações estão incluídas no decreto-lei "que altera as medidas excecionais e temporárias de resposta à pandemia da covid-19 no âmbito cultural e artístico", hoje aprovado" e que "estabelece as normas aplicadas aos espetáculos do ano de 2021".