Coronavírus

Covid-19. Belgas vão poder ter acesso a "vacinas de última hora"

Canva

O objetivo é acelerar a vacinação e "atingir o mais depressa possível a imunidade de grupo".

Saiba mais...

Os cidadãos da Bélgica vão poder inscrever-se numa lista para ter acesso a uma "vacina de última hora" contra a covid-19 que não tenha sido utilizada no primeiro destinatário, anunciaram este sábado as autoridades do país.

O objetivo da lista, para a qual serão aceites inscrições a partir da próxima terça-feira, é acelerar a vacinação e "atingir o mais depressa possível a imunidade de grupo", de acordo com a agência de notícias Belga.

Quem se inscrever pode ser chamado para tomar vacinas disponíveis em centros de vacinação que não foram utilizadas por causa de marcações anuladas à última da hora ou porque as pessoas chamadas primeiro não compareceram.

As pessoas maiores de idade podem inscrever-se a partir de 6 de abril, dar os seus dados e serão contactadas quando houver vacinas disponíveis.

Quando forem contactadas, têm meia-hora para responder se pretendem aproveitar a vacina, caso contrário, esta irá para outra pessoa inscrita na lista.

As pessoas inscritas são chamadas de acordo com a idade.

Vacinação na Europa é "inaceitavelmente lenta", admite OMS

A Organização Mundial de Saúde considera que o ritmo de vacinação contra a covid-19 na Europa é "inaceitávelmente lento".

O braço europeu da agência das Nações Unidas alerta ainda que aumento do número de mortes e de novos casos é preocupante.

"As vacinas são a nossa melhor saída para a pandemia. Não só funcionam, mas também são muito eficazes na limitação de infeções. No entanto, a aplicação dessas vacinas está a decorrer a uma lentidão inaceitável", disse o diretor da OMS Europa, Hans Kluge, citado num comunicado de imprensa.