Coronavírus

Norueguês esquia em zona montanhosa para tentar escapar a quarentena obrigatória

Hannah Mckay

Foi resgatado nas montanhas, após tentar cruzar a esquiar a fronteira desde a Suécia.

Saiba mais...

Um norueguês teve que ser resgatado nas montanhas no fim de semana após tentar cruzar a esquiar a fronteira desde a Suécia, na tentativa de escapar da quarentena obrigatória na Noruega, disseram esta segunda-feira a polícia e serviços de socorro.

"Ele tentava voltar para a Noruega com o objetivo de procurar documentos e, depois, retornar para a Suécia, onde tem um trabalho em curso. Entretanto, para evitar a quarentena, decidiu cruzar a fronteira pelas montanhas", disse Trond Helge Rønning, da organização de socorro Norske Folkehjelp.

"Ao todo seriam cerca de 40 quilómetros", segundo o socorrista, baseado em Tydal, uma vila norueguesa próxima da fronteira com a Suécia, cerca de 100 quilómetros a leste da cidade de Trondheim (centro).

"Fazia frio". As montanhas eram "bastante altas"

Surpreendido com o mau tempo, no final da tarde de sábado, o homem viu-se em dificuldades após percorrer cerca de 25 quilómetros.

Um criador de renas foi o primeiro a socorrer o homem e depois confiou-o a dois pescadores a poucos quilómetros de distância, perto do lago Essandsjø, que aguardaram a chegada dos serviços de socorro, segundo o relato de Rønning.

"Estava húmido e fazia frio", disse o socorrista, descrevendo uma área difícil, "com montanhas bastante altas".

Os serviços de socorro entregaram o homem à polícia por violar as regras estabelecidas para o combate à doença covid-19.

Está agora a fazer quarentena num hotel

Segundo as regras norueguesas, o homem deveria ter testado negativo e passado dez dias em quarentena num hotel, exceto para viagens essenciais, disse um porta-voz da polícia local à AFP.

"Aplica-se até a um cidadão norueguês", disse um responsável do distrito de Trøndelag, acrescentando que o homem está agora a fazer a sua quarentena num hotel próximo e posteriormente seria ouvido pelas autoridades.

Segundo os meios de comunicação locais, o plano era que o seu filho o pegasse de carro no final de um caminho pelas montanhas.

De acordo com o Rønning, o homem ficou muito "aborrecido e não se desculpou".