Coronavírus

Permitidos ensaios de espetáculos com estreia depois de abril

Anteriormente, os ensaios eram permitidos apenas a espetáculos com estreia prevista até ao final de abril.

A realização de ensaios, durante o estado de emergência, é agora permitida para espetáculos com estreia prevista para lá do final de abril, esclareceu esta segunda-feira a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC).

"Em relação à realização de ensaios esclarece-se que, estando prevista na Resolução do Conselho de Ministros nº 19/2021, de 13 de março, a reabertura, dos cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos, a partir do próximo dia 19 de abril, fica sem efeito a limitação temporal de impossibilidade de ensaios, podendo os mesmos realizar-se no cumprimento das normas da Direção-Geral da Saúde (DGS)", lê-se num comunicado publicado na página oficial da IGAC.

Antes, eram apenas permitidos ensaios com estreia até final de abril

Anteriormente, a realização de ensaios durante o estado de emergência era permitida apenas no caso da preparação de espetáculos com estreia prevista até ao final de abril.

Em 12 de fevereiro, a IGAC referia que eram "apenas permitidos os ensaios para preparação de espetáculos cuja estreia esteja prevista nos próximos dois meses (até final do mês de abril) e no âmbito dos quais participem pessoas a título profissional ou equiparado".

"Neste caso, esta situação é entendida como atividade profissional que não pode ser desenvolvida por recurso ao teletrabalho", refere a IGAC, salientando que, "não obstante, devem ser cumpridas as normas da DGS e adotadas medidas técnicas e organizacionais que garantam o distanciamento físico e a proteção dos trabalhadores".

Filmagens, streamings e afins

No mesmo comunicado, a IGAC esclarecia também que "é possível a realização de filmagens, 'streamings' e afins se nas mesmas participarem pessoas a título profissional ou equiparado, sendo que, nestas condições, esta situação é entendida como atividade profissional que não pode ser desenvolvida por recurso ao teletrabalho".

Tal como no caso dos ensaios, "devem ser cumpridas as normas da DGS e adotadas medidas técnicas e organizacionais que garantam o distanciamento físico e a proteção dos trabalhadores".

Veja também:

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão