Coronavírus

Covid-19. Pessoas entre os 20 e os 60 anos têm de ter um "passaporte contra a transmissão"

Entrevista SIC Notícias

Pneumologista Filipe Froes, coordenador do gabinete da covid-19 da Ordem dos Médicos, em entrevista na Edição da Noite.

Saiba mais...

Filipe Froes, pneumologista e coordenador do gabinete da covid-19 da Ordem dos Médicos, concorda que Portugal pode atingir as linhas vermelhas ainda este mês e considera que é preciso realçar o que temos de fazer para um desconfinamento seguro, que não provoque um aumento dos casos de covid-19.

Em entrevista na Edição da Noite, salienta que, neste momento, há uma incidência "muito baixa" em pessoas com mais de 60 anos, por causa da vacinação. Salienta também a vacinação aos profissionais de saúde:

"Revelou-se da maior certeza, necessidade e justiça. Protegeu os profissionais de saúde e as pessoas mais fragilizadas".

No entanto, o especialista aponta para uma mudança epidemiológica em pessoas com menos de 20 anos: "Temos confirmação que há muitas crianças infetadas".

Filipe Froes considera que é importante o foco em pessoas entre os 20 e os 60 anos, que correspondem a cerca de 5,4 milhões de habitantes: "Temos de lhes garantir um passaporte contra a transmissão. É aqui que, provavelmente, temos que afinar a matéria".

"Temos de rastrear, rastrear, rastrear, isso é que é o objetivo. E vacinar, vacinar, vacinar", afirma.

O coordenador do gabinete da covid-19 da Ordem dos Médicos fala na possibilidade de uma nova vaga, uma vez que os casos de covid-19 vão continuar a subir. No entanto, explica:

"Vamos aumentar, mas não vamos ter o aumento em termos de gravidade porque essas pessoas estão protegidas. Isso dá-nos maior capacidade de prevenção".

Sobre a suspensão de entregas da vacina da Janssen para a Europa, Filipe Froes diz que é sinal que os sistemas de vigilância estão a funcionar. Mas considera que tem de se estudar a possível relação entre a vacina e coágulos para se identificar fatores de risco.

Na Edição da Noite, o pneumologista diz-se ainda otimista, "sem sombra de dúvidas", quanto ao plano de vacinação.

Veja também: