Coronavírus

Covid-19. Bélgica reabre viagens para o estrangeiro mas aperta controlos

Canva

Viagens não essenciais estavam interditas na Bélgica desde final de janeiro.

Saiba mais...

A Bélgica voltou esta segunda-feira a autorizar as viagens não essenciais para fora do país, mas vai monitorizar melhor os testes dos viajantes, nomeadamente o do segundo, sete dias após o regresso de zonas vermelhas.

"Vamos monitorizar melhor os testes", disse a responsável pelos testes e rastreios na Bélgica, Karine Moykens, em declarações ao jornal Le Soir, no dia em que as viagens não essenciais deixam de ser proibidas, mas são desaconselhadas.

Os residentes no país que regressam de uma zona vermelha, conforme o código de cores fixado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC, na sigla inglesa) em função do número de casos de covid-19 por 100.000 habitantes, terão de apresentar um teste PCR negativo à chegada à Bélgica, manter-se em quarentena e fazer um segundo teste sete dias depois.

Moykens referiu que a percentagem de pessoas que fizeram o segundo teste -- e para o qual recebem uma prescrição via sms -- é muito baixa, pelo que a meta dos serviços de rastreio é garantir que este é realizado, através de controlos mais apertados.

Segundo dados do serviço, em fevereiro, 87% das pessoas fizeram o primeiro teste, enquanto 47% fizeram o segundo.

Em março, a proporção foi de 68% e 29% e no início de abril, 75% fizeram o primeiro teste e apenas 26% o segundo.

Portugal, com uma notificação de 68,46 casos por 100.000 habitantes nas semanas 13 e 14 do ano (29 de março a 11 de abril) está classificado como "laranja" pelo ECDC.

As viagens não essenciais estavam interditas na Bélgica, com exceções, desde final de janeiro.

  • Está a pagar um valor justo pelo seu seguro multirriscos?
    8:25
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    Muitos portugueses podem estar a pagar a mais de seguros multirriscos, sem necessidade. No ano passado, o Contas-Poupança mostrou como podia fazer a conta para saber se estava a pagar o preço justo. Mas era um cálculo complicado. Agora há um simulador que em poucos minutos lhe diz quanto é que a seguradora lhe vai pagar se precisar de reconstruir a sua casa.