Coronavírus

Covid-19. Índia regista mais de 410 mil novos casos num só dia

Índia registou mais de 410 mil novos casos e mais de 4 mil mortes na sexta-feira.

Saiba mais...

A escassez de camas e de oxigénio estão entre os muitos obstáculos que a Índia enfrenta no combate à pandemia, a começar pela falta de medidas de prevenção.

Mais de 40 países começaram a enviar ajuda para a Índia, onde foram registados quase metade dos mais de 830 mil novos contágios detetados nas últimas 24 horas em todo o mundo.

Especialistas da OMS sublinham que o número real de novas infeções na Índia pode ser 5 a 10 vezes superior ao registado, tendo em conta a escassez de testagem e as condições sanitárias no segundo país mais populoso do mundo, com mais de 1,3 mil milhões de habitantes.

Entre os muitos dramas decorrentes da pandemia que assolam a Índia, várias ONG alertam para a situação das crianças cujos pais morreram ou estão infetados, muitos deles sem qualquer assistência. A cada dia que passa aumentam os pedidos para localizar e acolher menores sem cuidadores.

Com mais de 3 milhões e meio de casos activos, é o terceiro país com mais mortes por covid-19 em todo o mundo, depois dos Estados Unidos e do Brasil.

No Nepal, que já pediu ajuda internacional urgente, a situação também é “explosiva”. Teme-se que chegue a uma taxa de incidência semelhante ou superior à da Índia. O país tem um sistema de saúde ainda mais frágil e uma taxa de vacinação inferior.

OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm contra a covid-19

Na sexta-feira a OMS deu luz verde ao uso de emergência de uma das vacinas chinesas, a da farmacêutica estatal Sinopharm.

A administração, em duas doses, é recomendada a pessoas com mais de 18 anos. É a sexta vacina contra a covid-19 aprovada pela OMS.

A OMS vai continuar a avaliar os dados sobre a vacina, mas considera que cumpre os requisitos de segurança, eficácia e qualidade.A avaliação de outra vacina chinesa, a da Sinovac, é esperada para breve.

Veja também: