Coronavírus

Aprovado mais público na final do Euro, numa altura em que Reino Unido regista aumento de casos

Meias finais e a final do UEFA Euro 2020 decorrem no estádio de Wembley, em Londres.

Saiba mais...

A Escócia decidiu adiar o desconfinamento por várias semanas, tal como Inglaterra, devido ao aumento de casos e de mortes no Reino Unido.

Apesar do agravamento da pandemia, o Governo britânico aprovou que as meias finais e a final do UEFA Euro 2020 se realizem com a presença de mais de 60 mil pessoas no estádio de Wembley, em Londres.

A decisão é controversa. Apesar do aumento de casos no Reino Unido, quase 12 mil só nas últimas 24 horas, o Governo britânico aprovou a presença de mais de 60 mil espectadores no estádio de Wembley, em londres, para as meias finais e a final do Europeu.

Wembley recebe, assim, luz verde para chegar a 75% da capacidade. Será a maior concentração de pessoas num evento desportivo no Reino Unido em 15 meses, uma decisão que não agrada ao primeiro-ministro italiano.

Roma seria a opção, numa altura em que o número de novas infeções em Itália permanece no mínimo, aos níveis de setembro do ano passado. Com a situação nos hospitais a melhorar e a campanha de vacinação a avançar, o país parece ter deixado para trás os piores dias da pandemia.

Em França todos os esforços estão concentrados para ter mais de metade da população totalmente imunizada até ao final de agosto. A vacinação para os jovens entre os 12 e os 17 anos teve início há cerca de duas semanas. Cerca de 365 mil adolescentes já receberam a primeira dose.

Em contrapartida, na Rússia, grande parte da população continua a dar sinais de recusar a vacinação, uma postura que as autoridades esperam contrariar. A partir da próxima semana, na capital do país, haverá novas regras. Só pode entrar em cafés e restaurantes quem tiver sido vacinado, tido covid há menos de seis meses ou apresente um teste negativo.

  • 1:57