Coronavírus

Covid-19. Rússia registou novo máximo de mortes com 786 óbitos

YURI KOCHETKOV

O número de infeções diárias caiu para 23.827, quase mil menos do que no dia anterior.

Saiba mais...

A Rússia registou hoje 786 mortes devido à covid-19, um novo máximo de óbitos desde o início da pandemia, enquanto o número de infeções diárias caiu para 23.827, quase mil menos do que no dia anterior.

De acordo com o centro de combate ao novo coronavírus, desde o início da pandemia do SARS-CoV-2, 145.278 pessoas já morreram de covid-19 na Rússia.

O recorde anterior de mortes no país devido ao novo coronavírus foi registado na terça-feira, com 780 mortes, a maioria em Moscovo e São Petersburgo.

Nas últimas 24 horas, a Rússia contabilizou 23.827 novos casos do SARS-CoV-2, dos quais 3.996 foram registados em Moscovo, 2.469 na província de Moscovo e 1.942 em São Petersburgo.

Desde o início da pandemia na Rússia, foram detetados 5.857.002 casos de covid-19 e é o quinto país do mundo com mais infeções acumuladas, atrás de Estados Unidos, Índia, Brasil e França, segundo mapa elaborado pelo Universidade John Hopkins.

Na Rússia, a campanha de vacinação está em progresso e mais de 28 milhões de pessoas foram imunizadas com pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, de acordo com as autoridades russas.

Até agora, 25 regiões de um total de 85 introduziram a vacinação obrigatória para certos grupos de cidadãos, especialmente pessoas com contacto próximo com o público, como pessoal de saúde e trabalhadores do setor de serviços.

De acordo com a autarquia de Moscovo, na capital russa cerca de 70% dos trabalhadores médicos e 66% dos funcionários do setor de educação já foram vacinados contra o novo coronavírus.