Coronavírus

Grupo anti-vacinas celebrou morte de jovem que pediu a homem para colocar máscara

O caso está a gerar uma onda de revolta na Alemanha.

Saiba mais...

Na Alemanha, o funcionário de uma bomba de gasolina foi assassinado por pedir a um cliente que colocasse a máscara no interior da loja.

O homicídio aconteceu no sábado passado, quando o funcionário de uma bomba de gasolina recusou-se a vender uma grade de cervejas a um cliente sem máscara. O homem, de 49 anos, terá recusado o pedido para colocar a máscara e depois de uma breve discussão, abandonou o local. Voltou mais tarde, desta vez com a máscara colocada, mas tirou-a assim que se dirigiu ao funcionário.

Depois de receber nova ordem para o uso correto, o homem tirou uma arma do bolso e disparou sobre o funcionário, um jovem de 20 anos, que teve morte imediata.

A chanceler Angela Merkel já condenou o ataque. Diz que é um ato horrível e de uma violência que a deixa sem palavras. O caso está a gerar uma onda de revolta entre a população.

Suspeito entregou-se às autoridades

O suspeito acabou por se entregar às autoridades no dia a seguir ao crime. Disse que se sentiu "encurralado" pelas medidas de combate à pandemia e que não viu "outra saída".

As autoridades já revistaram o apartamento do homem e encontraram a arma do crime, bem como outras armas de fogo e munições. Está atualmente em prisão preventiva.

Entretanto na internet, um grupo que junta ativistas anti-vacinas e elementos de movimentos de extrema-direita, celebrou o assassínio. Mas a polícia ainda não revelou se o suspeito pertencia ao grupo.