Coronavírus

Afinal, quais os locais onde ainda temos de usar máscara?

Roger Nicolau

Roger Nicolau

Repórter de Imagem

Marco Carrasqueira

Marco Carrasqueira

Editor de Imagem

A partir de 1 de outubro, são cinco as situações onde a máscara continua a ser obrigatória.

Saiba mais...

A Direção-Geral da Saúde vai atualizar as recomendações sobre o uso de máscaras. O Governo decidiu que, a partir de dia 1 de outubro, a máscara só é obrigatória em locais de maior risco, como os transportes públicos e grandes superfícies. A autoridade de saúde terá agora de emitir orientações, por exemplo, para as escolas.

O uso de máscara é obrigatório nos seguintes locais:

  • Transportes públicos;
  • Lares;
  • Hospitais;
  • Salas de espetáculos;
  • Eventos;
  • Grandes superfícies.

Os centros comerciais deixam de ter lotação máxima. O uso de máscara é, por isso, a única regra que se mantém. Já para ir a um bar ou discoteca, não é preciso levar máscara. No recreio das escolas e nos restaurantes deixa também de ser obrigatório o uso de máscara, mas há locais onde permanecem dúvidas sobre a obrigatoriedade do uso.

É o caso dos tribunais ou outros serviços publicos. Até agora, tem sido exigida máscara nas sessões de julgamento, nos notários ou conservatórias. E os serviços não têm para já nenhuma indicação para alterar esta regra.

Todas estas questões têm de ser esclarecidas pela Direção-Geral da Saúde, que vai agora alterar a orientação sobre as máscaras.

PORTUGAL AVANÇA PARA A ÚLTIMA FASE DE DESCONFINAMENTO: CONHEÇA AS MEDIDAS

O primeiro-ministro anunciou esta quinta-feira que a evolução positiva do país no controlo da covid-19 vai permitir que passe do atual estado de contingência para a situação de alerta a partir de 1 de outubro.

"Estamos em condições de avançar para a terceira fase do plano [de alívio de restrições] de 29 de julho passado. Portugal passará do atual estado de contingência para a situação de alerta a partir de 1 de outubro", declarou.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.938 pessoas de covid-19 e foram contabilizados 1.064.876 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

VEJA TAMBÉM: