Coronavírus

Depressão e ansiedade em 20% dos doentes internados com covid-19 grave

Loading...

Aponta novo estudo da Universidade do Porto e do Hospital de São João.

Cerca de 20% dos doentes que estiveram em cuidados intensivos apresentam sintomas de ansiedade, depressão e alterações cognitivas, dois meses depois da alta, aponta novo estudo da Universidade do Porto e do Hospital de São João.

Investigadores da Universidade do Porto e do Hospital de São João levaram a cabo um estudo realizado com quase 200 doentes que estiveram internados nos cuidados intensivos devido à covid-19. Vinte por cento dos que sobreviveram apresentaram sintomas de depressão, ansiedade e alterações cognitivas, após dois meses de terem recebido alta hospitalar.

Os homens mais jovens e as pessoas que melhor se recordam do período passado em internamento são os grupos que apresentam mais sequelas após terem passado pelos cuidados intensivos. Os investigadores do estudo revelam ainda que quanto mais tempo estiverem ventilados e sedados, maior o risco destes doentes desenvolverem sintomas posteriores.

Os responsáveis por esta descoberta estão neste momento a trabalhar no sentido de apurar se a intervenção atempada promove uma melhoria dos sintomas ao fim de um ano.

Últimas Notícias
Mais Vistos