Crise Climática

O aviso de Greta na chegada a Lisboa: "Não vamos parar"

Rafael Marchante

A ativista sueca vai ficar alguns dias em Lisboa para descansar.

Greta Thunberg chegou esta terça-feira a Lisboa, cerca das 13H00, depois de uma viagem de 21 dias num veleiro, proveniente de Hampton, Virgínia, nos Estados Unidos. A jovem ativista sueca vai ficar alguns dias por Lisboa, a descansar, antes de rumar a Madrid para participar em atividades relacionadas à Cimeira do Clima.

Inicialmente estava previsto que Greta seguiria ainda esta terça-feira de comboio para Madrid, mas a tripulação do veleiro decidiu ficar mais tempo em Lisboa para descansar.

Viagem incrível, mas difícil

Na chegada à Doca de Alcântara, a jovem foi recebida por dezenas de pessoas que esperavam para a ouvir. Explicou que, apesar da viagem ter sido incrível, não foi fácil, pois esteve isolada durante três semanas, a viver num espaço limitado e com pouco para fazer.

"Agora vou ficar em Lisboa alguns dias", disse a jovem, explicando que vai aproveitar para se informar do que se passou no tempo em que esteve isolada, que vai conhecer a agenda da COP25, e que vai participar na marcha que está marcada para sexta-feira na capital espanhola. "E depois de Madrid vou para casa, para o Natal", acrescentou.

A jovem ativista respondeu a perguntas durante cerca de 20 minutos, perante muitas dezenas de jornalistas de vários países, especialmente de Espanha. E voltou depois para o "La Vagabonde".

Deixou ainda a garantia de que não vai parar a luta para que os protestos dos jovens sejam ouvidos: "Não iremos parar, iremos continuar e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance: a viajar, a pressionar as pessoas que têm o poder para que coloquem as prioridades no devido lugar".

Ambientalistas e políticos de todos os quadrantes receberam Greta

Greta ouviu o presidente da Câmara de Lisboa agradecer-lhe o ativismo e a "voz forte" para ganhar a batalha das alterações climáticas, e ouviu as jovens ativistas portuguesas Beatriz e Matilde agradecerem-lhe também a inspiração para lutar para tirar "o fogo de casa".

A sueca contou ainda com elogios de vários políticos que destacam a capacidade de luta da jovem e a mobilização de milhões de jovens em todo o mundo para a causa.

Greta não vinha para a Europa

Inicialmente, Greta Thunberg não devia viajar para a Europa neste momento, já que a COP25 estava marcada para o Chile, que à última da hora desistiu da organização devido aos conflitos sociais que estão a acontecer no país e que já provocaram vários mortos.

Por esse motivo a jovem sueca embarcou em 13 de novembro, de regresso à Europa, no catamarã "La Vagabonde", como forma de evitar os aviões e a sua forte carga poluente. No entanto, na conferência de imprensa desta terça-feira, admitiu que é impossível que o seu exemplo seja seguido por todos.

"Não estou a viajar assim para que todos o façam. Estou a viajar assim como símbolo", declarou.

De adolescente anónima a figura mundial

Greta Thunberg, de 16 anos, celebrizou-se em todo o mundo por ter iniciado no seu país (Suécia) as greves pelo clima, em protesto pela falta de medidas dos políticos para fazer face às alterações climáticas.

No último ano, discursou perante líderes mundiais em palcos como a Assembleia-Geral das Nações Unidas, o Parlamento Europeu e o Fórum Económico Mundial.

A chegada de Greta Thunberg a Lisboa em fotos

  • "Ele deu-me um soco! É uma vergonha": treinador do Belenenses SAD admite que foi agredido
    0:36