Crise nos combustíveis

Sindicato dos motoristas de matérias perigosas desconvoca greve

Armando Franca

Governo já confirmou a reunião de terça-feira.

O sindicato de motoristas de matérias perigosas decidiu este domingo desconvocar a greve, que começou a 12 de agosto, após um plenário de trabalhadores, que decorreu durante a tarde, em Aveiras de Cima.

No final do plenário, Francisco São Bento ameaçou ainda com uma nova paralisação, caso a Antram não queira negociar na terça-feira.

Na moção aprovada, os motoristas decidiram mandatar a direção do sindicado para "caso a Antram demonstre uma postura intransigente", tomar medidas como "a convocação de greves ás horas extraordinárias, fins de semana e feriados", até que os interesses dos motoristas sejam efetivamente assegurados.

A decisão surge após sete dias de paralisação e depois de ter falhado um acordo mediado pelo Governo, numa reunião que durou cerca de 10 horas e que terminou na madrugada de sábado.

Pedro Pardal Henriques considera que a desconvocação da greve não pode ser vista como uma derrota, nem como "um passo atrás". Em entrevista à SIC Notícias, o porta-voz do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas disse que estão reunidas as condições para negociar.

Pardal Henriques falou ainda sobre a maratona negocial com o Governo, na sexta-feira, e destacou a imparcialidade do Executivo.

O Governo já confirmou que irá realizar a reunião na terça-feira, no Ministério das Infraestruturas e Habitação, em Lisboa.

"Se [a greve] está desconvocada, a reunião é terça-feira", disse à Lusa fonte oficial do ministério liderado por Pedro Nuno Santos, sem adiantar mais informação.

Antram disponível para negociar com sindicato mas dentro do suportável para empresas

André Matias de Almeida diz que a Antram está disponível para se reunir com o Governo para avançar com o processo de mediação proposto pelo sindicato dos motoristas de matérias perigosas.

Em entrevista à SIC Notícias, este domingo, o porta-voz da Antram congratulou-se com a desconvocação da greve e disse que este é o caminho: "a negociação, o diálogo, o baixar das armas".

André Matias de Almeida explicou que o processo de mediação não significa que as duas partes se sentem à mesa, mas sim que as duas partes negoceiem através de um mediador, neste caso, do Governo.

Primeiro-ministro saúda decisão

António Costa saudou a desconvocação da greve, formulou "votos de sucesso para o diálogo" entre sindicato e associação patronal Antram e congratulou-se com o "elevado civismo" dos portugueses durante a paralisação.

"Saúdo a decisão de desconvocação da greve dos motoristas de matérias perigosas, formulando votos de sucesso para o diálogo que agora se retoma entre as partes", declarou o primeiro-ministro através da rede social Twitter.

António Costa avalia fim da crise energética

O primeiro-ministro visita na segunda-feira de manhã a Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE) para avaliar as condições para declarar o fim da crise energética e convocar o Conselho de Ministros para esse efeito, informou este domingo fonte oficial.

A visita de António Costa à ENSE está agendada para as 08:00, e servirá para "avaliar as condições para declarar fim da crise energética e convocar o Conselho de Ministros eletrónico para o efeito", segundo a agenda do primeiro-ministro.