Crise Migratória na Europa

Turquia intercetou este ano 36 mil migrantes que tentavam chegar à Grécia

Darrin Zammit Lupi

Um acordo entre a União Europeia e a Turquia prevê que os migrantes que cheguem às ilhas gregas próximas da costa turca sejam devolvidos a território turco.

A guarda costeira turca intercetou este ano cerca de 36 mil migrantes no mar Egeu, quando tentavam chegar à costa da Grécia, informou hoje a CNNTurk.


Uma fonte da Guarda Costeira turca alertou para o aumento de migrantes ilegais intercetados quando tentavam chegar às ilhas gregas, sendo que só este ano já superaram os números de 2018 (cerca de 25 mil) e de 2017 (cerca de 21 mil).


Por outro lado, diminuíram as mortes durante a travessia do mar Egeu, contando com 29 este ano e contrastando com os dois anos anteriores, 65 em 2018 e 61 em 2017.


Em setembro, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR, na sigla em inglês) registou, na Grécia, a chegada de 12 mil refugiados vindos da Turquia, somando, assim, o número mais alto já registado desde 2016 e que duplica o máximo mensal observado nos últimos três anos.


O acordo firmado em 2016 entre a União Europeia e a Turquia prevê que os migrantes que cheguem às ilhas gregas próximas da costa turca serão devolvidos ao território turco, medida que fez cair o número de chegadas à Grécia.


No entanto, apenas uma fração dos migrantes ou refugiados foram efetivamente deportados da Grécia, cerca de 1.913.
Num encontro em Ancara na quinta-feira, o ministro do interior alemão, Horst Seehofer, e o comissário europeu da migração, Dimitris Avramopoulos, urgiram que a Turquia aumentasse os esforços para prevenir a partida de refugiados para a Europa.


Espera-se que Avrampoulos e Seehofer se reúnam hoje com o ministro dos negócios estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, para abordar a situação migratória da região.

Lusa