Crise Migratória na Europa

Ilha italiana de Lampedusa em emergência com chegada de 300 migrantes

Mauro Seminara

No centro de acolhimento da ilha, que tem capacidade para 90 pessoas, estão atualmente 116 migrantes.

O presidente da Câmara de Lampedusa alertou esta quarta-feira que a ilha está em emergência sanitária após o desembarque de mais de 300 migrantes em menos de 48 horas, porque não existe espaço para os manter em quarentena.

Cerca de 150 migrantes chegaram a Lampedusa entre a tarde de segunda-feira e a manhã de terça a bordo de barcaças precárias com origem no norte de África.

Durante a última noite, as autoridades marítimas italianas escoltaram outro barco com cerca de 160 pessoas a bordo até ao cais de Favarolo, em Lampedusa.

"Estamos a enfrentar uma emergência de saúde total devido à necessidade de colocar essas pessoas em quarentena [para evitar o contágio] pelo coronavírus", afirmou o autarca, Salvatore Martello, à imprensa italiana.

Além disso, no centro de acolhimento da ilha, que tem capacidade para 90 pessoas, estão atualmente 116 migrantes, pelo que uma parte dos migrantes que chegaram nas últimas horas foi alojada num centro gerido pela paróquia local, mas a maior parte está ao ar livre, a aguardar uma solução.

Espera-se que durante o dia seja possível transferir as 116 pessoas que estão no centro de acolhimento e já cumpriram a quarentena para outras cidades da Sicília, mas, por enquanto, várias dezenas de migrantes terão de ficar à espera no porto, onde o presidente da câmara municipal montou uma tenda para os abrigar do sol.

Salvatore Martello já pediu várias vezes que seja disponibilizado um navio, tal como foi feito na costa de Palermo, onde os migrantes possam cumprir a quarentena sem ter de ficar em terra.

Entretanto, um cargueiro respondeu há dois dias ao pedido de ajuda de outro navio com 78 migrantes em dificuldades, estando agora a aguardar que as autoridades de Malta deem instruções para saber para onde se dirigir, já que o resgate foi realizado na área daquele país.

Tal como Itália, Malta também fechou os seus portos e, nos últimos quatro dias, 57 migrantes resgatados numa operação foram transferidos para um navio de turismo que está à espera que a União Europeia avance com uma solução.

Entre o início do ano e segunda-feira, a Itália registou a chegada de 3.587 migrantes, aos quais devem ser somados os quase 600 dos últimos dias.