Crise Migratória na Europa

Ex-ministro Salvini quer processar Governo italiano por aumento de desembarques de migrantes

Ciro De Luca

As chegadas à costa de Itália mais do que duplicam num ano.

O ex-ministro do Interior italiano e líder do partido de extrema-direita Liga Norte, Matteo Salvini, disse hoje que vai processar o Governo por favorecer imigração clandestina, na sequência do aumento de desembarques de migrantes nos últimos meses.

Nas últimas semanas, Salvini voltou às redes sociais para atacar o Governo pela sua gestão da entrada de migrantes nas costas italianas.

O ex-ministro tem utilizado, nas redes sociais, 'slogans' como "discotecas fechadas e portos abertos", numa referência à recente decisão do Governo de encerrar bares e discotecas devido ao aumento do número de infetados, sobretudo de jovens, por Covid-19 em Itália.

Salvini também lembra frequentemente que, no dia 03 de outubro, deverá comparecer no tribunal de Sicília para responder por um processo interposto pela organização humanitária espanhola Open Arms.

Aquela organização acusa Salvini de sequestro por ter impedido, quando era ministro, o desembarque de 100 migrantes que estavam a bordo do navio da organização não governamental.

"Vão julgar-me por ter impedido os desembarques? Também irei ao mesmo tribunal [processar o Governo] em nome da vossa liberdade e da dos vossos filhos", escreveu Salvini na quinta-feira no Twitter.

De acordo com dados do Ministério do Interior italiano, este ano chegaram 17.264 imigrantes de barco ao país, enquanto no ano passado o número ficou nos 4.664.

Em 2018, quando a Liga estava no Governo, chegaram 19.445 imigrantes a Itália por via marítima.