Crise Migratória na Europa

Drone de empresa portuguesa condena homem por tráfico e migração ilegal

David Alves

David Alves

Editor de Imagem

Tekever colabora com as autoridades britâncias desde o ano passado

As imagens de drone captaram em julho deste ano um bote com 20 migrantes, incluindo 5 menores, no Canal da Mancha. Ajudaram as autoridades a condenar um homem por tráfico de seres humanos e migração ilegal.

Podia ser uma condenação como tantas outras, mas é a primeira vez que drones são usados como prova condenatória em tribunal. Para isso, contribuiu a tecnologia portuguesa. O drone Tekever AR5 pode voar durante 20 horas. Chega aos 4 metros de comprimento e consegue gravar, tanto durante o dia, como de noite, explica o CEO da Tekever, Ricardo Mendes.

A Tekever foi fundada em 2011 e tem mais de 250 trabalhadores.