Crise Migratória na Europa

Uma criança morreu afogada em naufrágio no mar Egeu

"Estamos em 2020 e continuam a morrer pessoas nas fronteiras da Europa".

As organização não-governamentais (ONG) lamentaram hoje de manhã a morte de uma criança no naufrágio de uma embarcação de migrantes que ocorreu no domingo na ilha grega de Samos.

"Estamos em 2020 e continuam a morrer pessoas nas fronteiras da Europa", afirmou a organização Médicos Sem Fronteiras.

Por seu lado, o Conselho Europeu para Refugiados e Exilados referiu que "esta nova tragédia mostra a necessidade urgente de encontrar rotas seguras e legais" para permitir que requerentes de asilo cheguem à Europa.

O corpo de um menino foi encontrado na manhã de domingo na costa da ilha grega de Samos, enquanto sete migrantes desaparecidos foram resgatados com vida na mesma noite, de acordo com a guarda costeira grega.

"Um total de 24 migrantes e o corpo de um menino foram encontrados na costa sul da ilha de Samos", apontou a guarda costeira grega em comunicado.

Inicialmente, o corpo da criança e de uma sobrevivente foram encontrados perto do local do naufrágio, de acordo com a agência de notícias grega ANA.

Mais tarde, 10 outros migrantes vivos foram apanhados nas proximidades pela guarda costeira, enquanto outros seis conseguiram chegar à costa de Samos a nado.

À noite, outros sete desaparecidos foram finalmente encontrados.

Samos é uma das cinco ilhas do mar Egeu que têm um centro de identificação e receção onde os refugiados e migrantes devem ficar enquanto o pedido de asilo é estudado.

No campo de Vathy, em Samos, construído para 648 pessoas, vivem atualmente 3.874 requerentes de asilo em condições precárias.

De acordo com o Ministério da Migração da Grécia, as chegadas de migrantes desde a Turquia caíram 73% em comparação com o ano passado.

Durante os primeiros nove meses de 2020, 12.289 pessoas chegaram às ilhas gregas contra 44.734 no mesmo período do ano passado.