Crise Migratória na Europa

Itália autoriza desembarque do Ocean Viking com 572 migrantes a bordo

Na noite de quarta-feira um homem em "sofrimento psicológico agudo" saltou ao mar.

O navio "Ocean Viking", da organização não-governamental (ONG) francesa SOS Méditerranée recebeu autorização de Itália para desembarcar os 572 migrantes resgatados que transporta, após alertar para a fome e tensão a bordo.

A ONG informou na noite de quinta-feira, através das redes sociais, com "imenso alívio", que a Itália havia dado permissão ao Ocean Viking para desembarcar passageiros no porto de Augusta, na Sicília.

Poucas horas antes, Luisa Albera, coordenadora de busca e salvamento da SOS Mediterranee, lançou um apelo urgente do Ocean Viking, a navegar entre Malta e a ilha italiana de Lampedusa, ao sul da Sicília, sublinhando que cinco pedidos às autoridades marítimas para atribuir um "porto seguro" não foram atendidos.

"É desumano fazer os sobreviventes esperarem no convés do nosso navio, expostos ao sol e às intempéries", disse Albera.

A mesma responsável adiantou que na noite de quarta-feira um homem em "sofrimento psicológico agudo" saltou ao mar, foi resgatado e trazido de volta ao navio.

Navio ficará sem alimentação pré-embalada na sexta-feira

A bordo do Ocean Viking estão 369 migrantes resgatados em 4 de julho de um barco que o grupo disse estar em perigo de afundamento no Mediterrâneo.

Segundo Albera, o navio ficará sem alimentação pré-embalada na sexta-feira e a partir de sábado não será capaz de "atender a todas as necessidades nutricionais dos sobreviventes".

"Com mais de 570 sobreviventes acomodados no convés de popa do Ocean Viking, todo o espaço disponível está a ser usado", tornando impraticável preparar refeições cozinhadas e distribuí-las, adiantou.

Itália e Malta insistem que outras nações da União Europeia também alberguem uma parte dos migrantes, após o desembarque.

A bordo do navio humanitário "Ocean Viking" encontram-se "572 pessoas salvas em seis operações de resgate" no mar Mediterrâneo, indicou a organização.

"Há mulheres, crianças, um bebé de quatro meses e todas estas pessoas precisam de desembarcar num local seguro, o mais rápido possível", relatou um membro da ONG num vídeo filmado a bordo do "Ocean Viking", citado pelas agências internacionais.

No passado dia 1 de maio, o "Ocean Viking" conseguiu fazer o desembarque de 236 migrantes resgatados na Sicília, Itália.

Desde o início de 2021, pelo menos 898 migrantes morreram no mar Mediterrâneo quando tentavam alcançar as costas europeias, segundo os dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), agência do sistema das Nações Unidas.

A ONG francesa SOS Méditerranée afirma ter resgatado mais de 30 mil pessoas desde fevereiro de 2016, primeiro com o navio "Aquarius" e depois com "Ocean Viking".