Crise Migratória na Europa

Grécia acusa Turquia de comportamento “bárbaro” com mais de 90 refugiados nus

Grécia acusa Turquia de comportamento “bárbaro” com mais de 90 refugiados nus
Canva

Por outro lado, a Turquia nega envolvimento no caso e culpa a Grécia.

O ministro da Proteção Civil grego, Takis Theodorikakos, acusou esta terça-feira a Turquia de comportamento “bárbaro e medieval” com os 92 refugiados nus que foram encontrados, na sexta-feira, a atravessar o rio Evros, fronteira natural que separa os dois países.

O governante salientou no Twitter que os acontecimentos foram registados pela agência europeia de controlo de fronteiras, Frontex, e são “indiscutíveis”, respondendo ao ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusolgu.

Esta terça-feira o ministro turco rejeitou que a Turquia tenha “empurrado” os migrantes para a Grécia e acusou Atenas de tentar “caluniar” a Turquia.

Os migrantes, que foram abandonados totalmente nus, disseram à polícia grega que foram transportados para Evros em três viaturas das autoridades turcas e depois tentaram atravessar o rio em barcos de plástico.

O ministro grego da Migração, Notis Mitarakis, disse esta terça-feira que a Grécia vai levar o incidente às Nações Unidas e enfatizou que o caso colocou a Turquia numa situação “difícil”.

Também esta terça-feira Theodorikakos enviou uma carta à comissária de Assuntos Internos europeia, Ylva Johansson, e aos seus homólogos dos Estados-membros, informando-os sobre o caso e enfatizando que os migrantes foram “vítimas de roubo, ferimentos, castigos corporais e tratamento que ofende a dignidade humana” por parte das autoridades turcas, segundo os seus próprios testemunhos.

A carta refere que os resgatado são 61 afegãos, três iranianos, quatro marroquinos, cinco paquistaneses e três bangladeshianos, entre os quais seis menores.

O ministro da Proteção Civil da Grécia disse ainda que a Turquia deve respeitar o direito internacional e parar de “provocar” a Grécia “de forma tão desumana”.

No domingo, Theodorikakos havia denunciado uma “imagem desumana” ao indicar que 92 refugiados foram encontrados nus após terem sido forçados, segundo Atenas, a atravessar o rio Evros, que separa a Turquia da Grécia.

Uma porta-voz da Frontex, Paulina Bakula, confirmou à agência noticiosa AFP “o salvamento de 92 migrantes na sexta-feira” com a colaboração das autoridades gregas.

“Os agentes [da Frontex] referiram que os migrantes foram encontrados nus e que alguns deles tinham feridas visíveis”, acrescentou em declarações em Varsóvia, sede da organização.

Atenas assegura que a Turquia obrigou estas pessoas a despirem-se antes de serem expulsas para o lado grego da fronteira.

Últimas Notícias