Daesh

Três francesas suspeitas de pertencer ao Daesh detidas na Turquia

Murad Sezer

As três mulheres, identificadas pelas iniciais J.C., C.A. e M.D., eram procuradas pela Interpol.

Três francesas suspeitas de pertencerem ao grupo jihadista Daesh e nove crianças que as acompanhavam foram detidas quando tentavam entrar na Turquia, anunciaram hoje os meios de comunicação turcos.

Segundo a agência de notícias estatal Anadolu, as três mulheres, identificadas pelas iniciais J.C., C.A. e M.D. e procuradas pela Interpol, foram detidas pelas autoridades turcas na cidade de Kilis, que faz fronteira com a Síria.

Uma fonte próxima do processo indicou à agência de notícias francesa France-Presse que as iniciais J.C. referem-se a Jennifer Clain, sobrinha dos irmãos Fabien e Jean-Michel Clain que reivindicaram em nome do Daesh os atentados de 13 de novembro de 2015 na França. Jennifer Clain também é mulher de Kévin Gonot, um francês condenado à morte no Iraque em 26 de maio por pertencer ao Daesh.

As 12 pessoas detidas foram transferidas para a Direção de Imigração, enquanto aguardam expulsão do país, explicou a Anadolu.

Nos primeiros anos do conflito sírio, que começou em março de 2011, a Turquia foi o principal ponto de passagem para a Síria de estrangeiros, nomeadamente os ocidentais, que pretendem juntar-se a grupos jihadistas.

Há muito acusada pelos seus aliados de fechar os olhos nestas passagens, Ancara, após ataques no seu solo, fechou a sua fronteira com a Síria, aumentou as detenções e expulsões de alegados jihadistas estrangeiros e juntou-se à coligação internacional contra o Daesh.

Lusa