Europeias 2019

Patriarcado de Lisboa reconhece que apelo ao voto na coligação Basta "foi uma imprudência"

Paulo Cunha

Publicação no Facebook apelava ao voto em três forças políticas associadas à "defesa da vida".

O Patriarcado de Lisboa reconhece que o apelo ao voto na coligação Basta, no Nós Cidadãos e no CDS "foi uma imprudência".

Numa publicação ontem no Facebook, associava os três partidos à "defesa da vida" e à luta contra o aborto.

A afirmação esteve duas horas debaixo de fogo nas redes sociais e foi, entretanto, retirada.

Contactado pelo Diário de Notícias, o gabinete de comunicação de D. Manuel Clemente admitiu ter sido uma "imprudência".

A publicação original entretanto apagada

A publicação original entretanto apagada

Esta publicação era "uma partilha de um gráfico elaborado pela Federação Portuguesa pela Vida, que define como posições de "defesa da vida" seis pontos: "Vida por nascer"; "rejeição eutanásia"; "liberdade de educação"; "oposição ideologia de género"; "proibição barrigas de aluguer"; e "combate à prostituição", explica o DN.

"Admitimos que foi uma imprudência. Para o Patriarcado, é essencial que toda a gente tenha a possibilidade de discernir o seu voto", disse o Patriarcado ao DN.

  • Os tsunamis que arrasaram a Ásia em 2004 e 2011
    25:20