Europeias 2019

A terra onde apenas 4 eleitores votaram

PEDRO SARMENTO COSTA

Resultado do "voto de protesto" contra a exploração de lítio na freguesia do concelho de Montalegre

PEDRO SARMENTO COSTA

Quatro eleitores num total de 323 inscritos votaram hoje na freguesia de Morgade, concelho de Montalegre, onde a maioria da população optou por fazer um "voto de protesto" contra a exploração de lítio na localidade.

O dia de eleições europeias foi também um dia de protesto nesta freguesia do distrito de Vila Real, onde os populares se estão a mobilizar contra a instalação de uma mina a céu aberto e foi feito, durante a última semana, um apelo à abstenção.

Pela manhã as portas da Junta de Freguesia, onde estava instalada a mesa de voto, foram fechadas a cadeado, obrigando à intervenção da GNR e a chamar um serralheiro.

As urnas abriram pelas 09:00 e, segundo disse à agência Lusa o presidente da junta, José Nogueira, durante todo o dia "apenas quatro pessoas" exerceram o direito de voto, num total de 323 eleitores inscritos nesta freguesia.

O autarca apontou que a iniciativa popular pretendeu ser uma chamada de atenção contra a exploração de lítio.

Em março, o Estado assinou o contrato de exploração com a empresa Lusorecursos relativo à exploração na mina do Romano (Sepeda), nesta freguesia que agrega as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo.

Durante o dia de hoje, dezenas de populares estiveram concentrados perto da junta e pela localidade de Morgade foram também colocadas tarjas de grande dimensão onde a principal mensagem era: "não à mina, sim à vida".

"Estamos a fazer um voto de protesto, ou seja, recusamos votar porque não concordamos com aquilo que o nosso Governo está a fazer com a nossa terra. Se é este tipo de desenvolvimento que eles querem para o Interior, nós não concordamos", afirmou, durante a manhã, Armando Pinto, porta-voz da Associação Montalegre Com Vida, que está em fase de legalização.

O responsável lembrou que "já há outros pedidos" de prospeção para a freguesia e salientou que "querem esburacar todo país".

Armando Pinto frisou que a população não "quer abdicar da qualidade de vida" e que o protesto de hoje pretendeu ser uma "chamada de atenção" para o Governo português e a União Europeia.

As assembleias de voto para eleger os deputados ao Parlamento Europeu encerraram hoje, às 19:00, em Portugal continental e na Madeira.

Nos Açores, a votação também se realiza desde as 08:00 e até às 19:00 locais (09:00 e 20:00 de Lisboa, devido à diferença horária de 60 minutos).

Nas europeias de hoje votaram até às 16:00 menos 36.262 pessoas do que nas eleições para o Parlamento Europeu de 2014, apesar de haver este ano mais um milhão de recenseados para eleger os eurodeputados portugueses.

Com Lusa

  • "O peso do minério"
    9:44
  • O 12.º episódio do "Polígrafo SIC"
    21:36