Europeias 2019

Primeiro-ministro da Eslováquia dá os parabéns aos liberais pró-europeus

David W Cerny

Coligação liberal e pró-europeia, que integra o partido da Presidente eleita Zuzana Caputova será a força política mais votada nestas europeias

A coligação liberal e pró-europeia, que integra o partido da Presidente eleita da Eslováquia Zuzana Caputova, é a força política mais votada nas eleições europeias naquele país, avançou hoje o primeiro-ministro eslovaco, Peter Pellegrini. Pellegrini também indicou que o seu partido, o SMER-SD (centro-esquerda), ficou na 2.ª posição.

"Acontece que as pessoas querem uma mudança. Os resultados preliminares assim o sugerem. Felicito a coligação PS/SPOLU pela sua vitória", declarou o primeiro-ministro, num comunicado.

As sondagens à boca das urnas, avançadas pela estação privada eslovaca Markyza, indicam que a coligação composta pelo partido de Zuzana Caputova Eslováquia Progressista (PS, força liberal sem assento parlamentar) e o liberal-conservador SPOLU terá alcançado 20% dos votos.

O PS, formação fundada em 2017, irá entrar no Parlamento Europeu (PE) com a eleição de quatro dos 13 eurodeputados que a Eslováquia conta naquela câmara.

Ao confirmar-se estes resultados, o SMER-SD (sociais-democratas) irá atingir 15,7% dos votos e conseguir a eleição de três eurodeputados, o que representa a perda de um mandato europeu.

O PS de Zuzana Caputova, que só será empossada Presidente a 15 de junho, anunciou que irá integrar a Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa (ALDE) no PE.

O Partido Popular A Nossa Eslováquia (L'SNS, extrema-direita), que defende a saída do país do bloco comunitário, também irá conseguir uma representação no PE, dois eurodeputados, com 12% dos votos, de acordo com as mesmas projeções.

A taxa de participação na Eslováquia, que votou no sábado para as europeias, deve situar-se nos 20%, mais sete pontos percentuais em relação às eleições europeias de 2014.

As eleições europeias, que decorrem desde quinta-feira nos 28 Estados-membros da União Europeia (UE), permitem escolher os 751 deputados que constituirão o PE na próxima legislatura.

  • A vila onde cabe o mundo
    9:35