Europeias 2019

Participação nas eleições em Portugal foi a sexta pior da UE

Cidadãos consultam as informações de secções de voto, em Vila Franca de Xira

NUNO FOX

Abstenção de 68,6% é a mais alta de sempre. Pior só a Eslováquia, a Eslovénia, a Croácia e a Bulgária.

A participação nas eleições europeias de domingo em Portugal ficou pelos 31,01%, sendo a sexta pior taxa da União Europeia (UE) e bastante abaixo da média comunitária, que foi de 50,82%, a maior em 20 anos.

Segundo dados provisórios relativos à participação por país divulgados hoje de manhã pelo Parlamento Europeu, a pior taxa dos 28 Estados-membros registou-se na Eslováquia (22,74%), seguindo-se a Eslovénia (28,29%) e a República Checa (28,72%).

Por seu lado, apenas 29,65% dos croatas participaram nas eleições europeias, enquanto 30,83% dos búlgaros o fizeram.

Em Portugal, a participação foi de 31,01%, de acordo com os mesmos dados - ou 68,6% de abstenção, a mais alta de sempre

Média de participação na UE foi de 50,82%

Estas taxas ficam aquém da média da UE, que foi de 50,82%, nas eleições europeias que arrancaram na quinta-feira e terminaram no domingo para eleger 751 eurodeputados.

A taxa de participação nas eleições europeias deste ano ultrapassa, então, a barreira simbólica dos 50% e é cerca de oito pontos percentuais superior à registada há cinco anos, de 42,6%.

Abstenção de 68,6% é a mais alta de sempre em Portugal

Portugal contrariou esta tendência, com os resultados mais recentes da Direção-Geral da Administração Interna a apontarem para uma abstenção de 68,6%, a mais alta de sempre, apesar de o número de votantes em comparação com as eleições de 2014 ter sido superior em cerca de 30 mil.

Nas presentes eleições, do total de eleitores inscritos, 1.431.825 são cidadãos recenseados fora do território nacional, representando 13,3%. Nas eleições de 2014, a percentagem de eleitores registados fora do território nacional era apenas de 2,5%.

Os três países com maior participação

Ainda a nível da UE, os três países com maior participação registada foram a Bélgica (88,47%), o Luxemburgo (84,10%) e Malta (72%), segundo os dados divulgados esta manhã pelo Parlamento Europeu.

O voto é obrigatório na Bélgica e no Luxemburgo, entre outros Estados-membros.

Lusa

  • Mourinho procura clube e rejeita, para já, treinar seleções
    7:14