Eleições nos EUA

Netanyahu felicita Joe Biden, "grande amigo de Israel"

POOL New

Trump deixou uma marca em Israel, com o reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado hebreu.

O primeiro-ministro israelita felicitou este domingo Joe Biden, que considerou um "grande amigo" de Israel, pela vitória nas presidenciais norte-americanas de 3 de novembro.

"Parabéns a Joe Biden e Kamala Harris. Joe, conhecemo-nos há quase 40 anos, a nossa relação é calorosa, e sei que és um grande amigo de Israel", escreveu Benjamin Netanyahu, na mensagem na rede social Twitter.

"Espero poder, convosco, aprofundar ainda mais a aliança especial que une os Estados Unidos e Israel", acrescentou Netanyahu, que antes tinha qualificado o atual Presidente norte-americano, Donald Trump, como o "melhor amigo que Israel alguma vez teve na Casa Branca".

Trump deixou uma marca em Israel, com o reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado hebreu, o apoio à colonização da Cisjordânia ocupada e à anexação dos montes Golã, bem como na normalização das relações entre Israel e os países árabes.

Netanyahu esperava, como a maioria dos israelitas, a vitória de Trump nas presidenciais dos Estados Unidos.

De acordo com duas sondagens recentes, 63% dos israelitas preferiam Trump a Biden (17-18%), cujos apoiantes seriam menos numerosos do que os indecisos (20%).

No entanto, Joe Biden conhece Israel há muito, tendo visitado pela primeira vez o país em 1973. E em 2015, defendeu que os Estados Unidos deviam respeitar a "promessa sagrada de proteger o lar de origem dos judeus".

Apesar dos laços profundos e da visita de nove responsáveis democratas contra sete republicanos a Israel desde 2017, de acordo com dados da diplomacia israelita, vários no país olham com desconfiança para Joe Biden.

Deputados israelitas afirmaram recear a emergência de uma nova geração, considerada menos favorável e até hostil, ao Estado hebreu no Partido Democrata norte-americano e também um enfraquecimento da política de Washington em relação ao Irão.

O líder da oposição israelita, o centrista Yair Lapid, que recentemente manifestou preocupação com a emergência de "vozes radicais" e "anti-Israel" entre os democratas norte-americanos, já tinha felicitado, no sábado, Joe Biden e Kamala Harris, aos quais pediu um reforço das relações com Israel, com base em "valores e interesses" dos dois países.