Eleições nos EUA

Major, o pastor alemão de Biden, será o primeiro cão adotado a viver na Casa Branca

Instagram Jill Biden (@drbiden)

Quando Biden assumir a Presidência, os dois pastores alemães que irão passar a viver na residência oficial.

Joe Biden ainda não assumiu a presidência e já ficará para a história eleitoral dos Estados Unidos. Por várias razões: tem o recorde de votos populares, é detentor do título de Presidente mais velho e, com Kamala Harris, terá a primeira vice-Presidente mulher de ascendência indiana. Mas há outro momento que ficará na memória. Major, o pastor alemão da família, será o primeiro cão adotado a viver na Casa Branca.

Major chegou à família Biden em 2018. A filha do casal, Ashley, viu uma publicação sobre a adoção de uma ninhada de cachorros na página de Facebook do abrigo para animais da Delaware Humane Association. Major começou por viver com os Biden enquanto família de acolhimento, tendo sido depois formalmente adotado.

Juntou-se a Champ, o mais velho dos dois animais da família, para quem viver na Casa Branca já não é uma novidade. O pastor alemão juntou-se ao clã em 2008, o mesmo ano em que Barack Obama e Joe Biden venceram as eleições norte-americanas. Champ chegou a viver na casa presidencial juntamente com os cães da família Obama – Bo e Sunny, dois cães de água portugueses.

Durante a campanha, Biden apelou ao eleitorado para que Major e Champ fossem "eleitos" os próximos DOTUS, que significa "Dogs of the United States" (Cães dos Estados Unidos). Trata-se de um trocadilho com a sigla "POTUS" que é utilizada para identificar o Presidente e "FLOTUS" que se refere à primeira dama (first lady, em inglês).

Instagram

À semelhança das contas oficiais de Presidente e primeira dama, também Champ e Major têm uma conta oficial de Twitter. A conta "Primeiros Cães dos Estados Unidos" (@First_Dogs_USA) foi criada este domingo e começou, precisamente com uma publicação sobre Major. Em menos de 24 horas, a página contava com perto de 125 mil seguidores.

Major é o primeiro cão que vem de um abrigo para animais, mas não o primeiro animal adotado a viver na residência oficial do Presidente. A família Clinton levou consigo um gato chamado Socks, que terá saltado para o colo de Chelsea Clinton quando esta saía de uma aula de piano, em Little Rock, no estado de Arcansas. O animal foi adotado pela família e morreu em fevereiro de 2009, depois de ter completado dois mandatos na Casa Branca.

Os cães na Casa Branca

Franklin D. Roosevelt com o cão Fala

Franklin D. Roosevelt com o cão Fala

AP

Donald Trump foi o primeiro Presidente desde William McKinley a não ter nenhum animal de estimação na Casa Branca. Tirando os últimos quatro anos, existe uma longa tradição de Presidentes que se fizeram acompanhar dos seus fiéis companheiros durante os mandatos.

Para além de Socks, Clinton tinha um labrador chocolate chamado Buddy. George W. Bush tinha três cães – miss Bezley, Barney e Spot – e Ronald Regan chegou a ser fotografado a passear Lucky, durante a visita da primeira-ministra britânica Margaret Thatcher à Casa Branca.

Um dos mais famosos cães presidenciais foi Fala, um terrier escocês que acompanhou Franklin D. Roosevelt durante os mandatos. Fala tornou-se de tal forma famoso que era regularmente protagonista de cartoons e até foi feito um filme sobre o animal.

Veja também: