Eleições nos EUA

Eleições EUA: Supremo Tribunal rejeita petição republicana na Pensilvânia

Andreia Melo

Andreia Melo

Jornalista

Republicanos tentaram anular mais de 2,5 milhões de votos por correspondência.

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitou uma petição republicana que pedia a anulação de mais de 2,5 milhões de votos por correspondência na Pensilvânia.

O caso foi apresentado por um congressista republicano que alega que a lei estatal do ano passado que dita que os eleitores podem votar por correio sem terem de apresentar qualquer justificação é inconstitucional.

Os juízes do Supremo Tribunal rejeitaram a ação, argumentando que os republicanos já deveriam ter contestado a lei quando esta foi implementada.

No Hawai, o supremo tribunal do estado também decidiu contra uma ação dos republicanos que acusava o Gabinete de Eleições de violar a lei ao implementar o novo sistema de voto pelo correio, abrindo espaço para fraudes. O Tribunal concluiu que não há provas de irregularidades.

Entretanto, Joe Biden continua a formar o seu governo. Anunciou o nome do general Lloyd Austin para a pasta da defesa. O general de 67 anos ainda tem de receber a confirmação do Senado, que poderá não acontecer.

Vários senadores, como os democratas Bernie Sanders e Elizabeth Warren, estão contra a nomeação, uma vez que o general está reformado do exército há menos de 7 anos, o período estabelecido pelo Congresso norte-americano para que um militar assuma a pasta da defesa.