Eleições nos EUA

Eleições EUA: Supremo Tribunal rejeita petição republicana na Pensilvânia

Andreia Melo

Andreia Melo

Jornalista

Republicanos tentaram anular mais de 2,5 milhões de votos por correspondência.

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitou uma petição republicana que pedia a anulação de mais de 2,5 milhões de votos por correspondência na Pensilvânia.

O caso foi apresentado por um congressista republicano que alega que a lei estatal do ano passado que dita que os eleitores podem votar por correio sem terem de apresentar qualquer justificação é inconstitucional.

Os juízes do Supremo Tribunal rejeitaram a ação, argumentando que os republicanos já deveriam ter contestado a lei quando esta foi implementada.

No Hawai, o supremo tribunal do estado também decidiu contra uma ação dos republicanos que acusava o Gabinete de Eleições de violar a lei ao implementar o novo sistema de voto pelo correio, abrindo espaço para fraudes. O Tribunal concluiu que não há provas de irregularidades.

Entretanto, Joe Biden continua a formar o seu governo. Anunciou o nome do general Lloyd Austin para a pasta da defesa. O general de 67 anos ainda tem de receber a confirmação do Senado, que poderá não acontecer.

Vários senadores, como os democratas Bernie Sanders e Elizabeth Warren, estão contra a nomeação, uma vez que o general está reformado do exército há menos de 7 anos, o período estabelecido pelo Congresso norte-americano para que um militar assuma a pasta da defesa.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão