Presidenciais

Deputada do PS Isabel Moreira vai votar em João Ferreira

Deputada socialista Isabel Moreira.

LUSA

Sou socialista. Não sou comunista. Agradeço, no entanto, a institucionalização do conflito que devo ao PCP, que evita o sonho dos inimigos da democracia"

A deputada do PS Isabel Moreira declarou este sábado o seu apoio ao candidato comunista às presidenciais de 2021, João Ferreira, "um democrata avesso a populismos" e "em nome de uma democracia não populista".

"O PS não tem candidato oficial. Mais uma vez, parece-me um erro. Mas aqui estamos. Livres para escolher. Os ataques à democracia que se fazem sentir na Europa, nos EUA, no Brasil, etc, são ataques que, por aqui, recordam-nos da importância de partidos como o PCP", afirmou Isabel Moreira, numa publicação no Facebook, duas horas depois de o PCP ter anunciado a candidatura de João Ferreira às presidenciais de 2021.

Isabel Moreira é a primeira militante do PS, partido que até ao momento não tem posição sobre uma candidatura a Belém, a declarar o apoio a um candidato de outro partido, neste caso, do PCP.

"Sou socialista. Não sou comunista. Agradeço, no entanto, a institucionalização do conflito que devo ao PCP, que evita o sonho dos inimigos da democracia, desde os movimentos inorgânicos, à extrema-direita que agora faz tantas horas da comunicação social", argumentou ainda.

Porque é "avesso a populismos", o que "traz exatamente aquilo" que defende nesta campanha, e "por tudo isto e por muito mais", Isabel Moreira afirma que vai "votar no João Ferreira, em nome de uma democracia não populista", "em nome do Estado de direito".

O eurodeputado João Ferreira é o candidato do PCP nas eleições presidenciais de 2021, anunciou este sábado o secretário-geral do partido, Jerónimo de Sousa.

Os candidatos a Belém

A seis meses do fim do mandato do atual Presidente da República, são já oito os pré-candidatos ao lugar de Marcelo Rebelo de Sousa.

São eles o deputado André Ventura (Chega), o advogado e fundador da Iniciativa Liberal Tiago Mayan Gonçalves, o líder do Partido Democrático Republicano (PDR), Bruno Fialho, a eurodeputada e dirigente do BE Marisa Matias, a ex-deputada ao Parlamento Europeu e dirigente do PS Ana Gomes, Vitorino Silva (mais conhecido por Tino de Rans), o ex-militante do CDS Orlando Cruz e, a partir de hoje, João Ferreira, do PCP.