Presidenciais

Presidenciais. André Ventura recebeu a subvenção mais alta

A subvenção mais alta foi para a candidatura de André Ventura, que recebeu 146.000 euros.

A últimas eleições foram as que custaram menos aos cofres públicos desde que as contas são auditadas. As contas foram feitas pela Secretaria-Geral da Assembleia da República, organismo responsável pelo pagamento de subvenções.

Segundo avança o Diário de Notícias, foram três os candidatos que receberam a subvenção, porque reuniram o mínimo de 5% dos votos impostos por lei.

O candidato que recebeu mais foi André Ventura, que ficou em terceiro lugar na votação. O líder do partido Chega recebeu uma subvenção de 146.000 euros.

Ana Gomes, que ocupou a segunda posição na votação presidencial, recebeu cerca de 132.000 euros.

Marcelo Rebelo de Sousa foi o candidato que menos recebeu, abaixo dos 24.000 euros, uma vez que apresentou menos despesas.

A lei define que a subvenção não pode, em qualquer caso, ultrapassar o valor das despesas efetivamente realizadas.

O limite total imposto para campanhas presidenciais é de 3,5 milhões de euros. O valor pago às três candidaturas somou apenas 302.333 euros.

Perante a situação pandémica e muitas restrições impostas, Marcelo Rebelo de Sousa optou por uma campanha com poucas ações de rua, sem material de campanha ou site oficial.

O outros candidatos à Presidência também acabaram por cortar em algumas despesas e tudo somado refletiu-se na reduzida conta final.

Veja também: