Ranking das Escolas

As melhores e as piores escolas

Consulte aqui o ranking das escolas de 2019

A pandemia de Covid-19 atrasou a divulgação do ranking dos exames nacionais, que esta sexta-feira é tornado público.

Este ano, sem surpresas, os resultados mostram que, em 2019, o ensino privado continua a ocupar os lugares cimeiros na tabela do ensino secundário e há 11 públicas nas primeiras 50 posições.

Primeira escola pública em 34º lugar do ranking


O ensino privado tem vindo a empurrar o público na tabela de exames nacionais do ensino secundário. A primeira escola pública entra seis lugares mais tarde em relação a 2018.

No ranking SIC/Expresso, e com mais de 100 exames, a já conhecida Escola Secundária Infanta D.Maria, em Coimbra, é a primeira, mas em 34º lugar, com média de 13,02 valores.

A segunda, é uma revelação: a Escola Básica e Secundária, Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, com média de 12,96 valores. Subiu 365 lugares na tabela dos exames.

Nas 50 primeiras escolas com melhores notas, há 11 escolas públicas distribuídas por Coimbra, Braga, Porto, Viseu, Aveiro e Lisboa.

De forma curiosa, no concelho de Vila Nova de Famalicão, em Braga, há três escolas públicas em posições muito positivas:

  • Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, 12,5 valores, (48ª)
  • Escola Secundária Camilo Castelo Branco, 12,03 valores, (66ª)
  • Escola Secundária D. Sancho I, 11,91 valores, (82ª)

Os colégios: sem surpresas

Na dança dos primeiros lugares do ranking, os colégios são já conhecidos: mantém a liderança o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, com 15,55 valores, o único com média superior a 15, mas que cai cerca de dois valores.

Em segundo, o Colégio D. Diogo de Sousa, em Braga, com 14,94, e na terceira posição os Salesianos de Lisboa, com 14,8 valores.

Na lista de 521 escolas, o histórico liceu Passos Manuel está praticamente no fim da tabela com uma média negativa de 7,85, muito condicionada pela média do exame de Física que não chegou aos quatro valores ( 3,76). Caiu de uma média de 12.

A última secundária é a Escola Básica e Secundária Padre Manuel Álvares, na Ribeira Brava, com a média mais baixa do ranking: 7,67 valores.

No fim da tabela, os colégios que existem situam-se em Díli, Timor, e em S. Tomé e Príncipe. 129 escolas têm menos de 10 de média nos exames nacionais

Ensino Profissional ganha terreno


A via profissional tem vindo a ganhar espaço como uma alternativa de ensino. Na grande maioria das escolas, os estudantes concluem o percurso em três anos.

Em 48 estabelecimentos do ensino profissional, a taxa de abandono é de 0%. Em alguns, como o Colégio Bissaya Barreto, em Coimbra,
com apenas um curso, 100 % dos alunos concluem a escolaridade no tempo previsto.

Segundo o indíce de conclusão, surgem depois a Escola Secundária do Cartaxo e o o Instituto "Vaz Serra", na Sertã,

O ensino profissional tem permitido consolidar a conclusão dos 12 anos de ensino obrigatório e há alunos que acabam por regressar ao ensino regular, onde o primeiro confronto dos estudantes com os exames nacionais acontece no 9º ano, selando o final do ensino básico.

Contabilizando as escolas com mais de 50 provas e, numa escala até 100 por cento, em 2019, em primeiro lugar, surge o Externato Escravas Sagrado Coração de Jesus, no Porto, (86,39), que subiu 11 lugares.

Em segundo, o Colégio dos Plátanos, em Sintra (85,44) que subiu uma posição. Em terceiro lugar, o Colégio Rainha Santa Isabel, em Coimbra (82,97) que mudou 18 posições.

Nos três privados, a taxa de retenção no 7º, 8º e 9º anos é de 0%. As disciplinas analisadas e as únicas com exame são o Português e a Matemática.

Compare com o Ranking de 2018