Freitas do Amaral 1941-2019

Marcelo cancela ida a Roma para assistir ao funeral de Freitas do Amaral

JUSTIN LANE

Viagem a Roma acontecia no âmbito da elevação de Tolentino Mendonça a cardeal.

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, cancelou a sua ida a Roma no sábado para a elevação de Tolentino Mendonça a cardeal, para estar presente nas cerimónias fúnebres do fundador do CDS Freitas do Amaral.

Esta informação foi avançada esta quinta-feira por fonte oficial da Presidência da República, que adiantou que a curta cerimónia comemorativa da implantação da República marcada para sábado de manhã, nos Paços do Concelho, em Lisboa, se deverá manter.

O fundador do CDS e antigo ministro Diogo Freitas do Amaral morreu esta quinta-feira aos 78 anos. O seu corpo vai estar em câmara ardente a partir das 17:00 desta sexta-feira, no Mosteiro dos Jerónimos, onde se realizará uma missa de corpo presente, às 19:00.

No sábado, às 12:00, haverá uma missa no Mosteiro dos Jerónimos, celebrada pelo bispo auxiliar de Lisboa, seguindo o cortejo fúnebre, às 13:00, para o cemitério da Guia, em Cascais.

A Presidência da República tinha confirmado na quarta-feira que Marcelo Rebelo de Sousa iria viajar para Roma no sábado, após a cerimónia comemorativa do 05 de Outubro, para a elevação de Tolentino Mendonça a cardeal, no Vaticano, regressando a Lisboa no mesmo dia.

O Presidente da República expressou logo no início de setembro a sua intenção de estar presente no consistório no qual José Tolentino de Mendonça será elevado a cardeal, e a deslocação foi autorizada pela Assembleia da República numa reunião da Comissão Permanente no dia 11 de setembro.

A cerimónia do 05 de Outubro deste ano foi ajustada para um formato mais curto, sem discursos, por se realizar na véspera das eleições legislativas de domingo.

Lusa