Glifosato: controvérsia persistente

Glifosato - Controvérsia persistente 

Reportagem Especial

Glifosato - Controvérsia persistente 

Uma plataforma portuguesa que junta doze associações de ambiente e de agricultura apela ao Governo para que torne obrigatório a análise ao glifosato na água de consumo e promova um estudo sobre a exposição da população portuguesa a este herbicida. 

O produto, considerado seguro pela Comissão Europeia e pelas principais autoridades reguladoras a nível mundial, foi classificado como provavelmente cancerígeno em humanos pela Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro da Organização Mundial de Saúde.

Uma classificação que deu origem a uma controvérsia sem fim que envolve ambientalistas, cientistas e indústria, com trocas de acusações de parte a parte.

  • O glifosato e a “guerra do glifosato”

    Glifosato: controvérsia persistente

    A Plataforma Transgénicos Fora (PTF) apresenta um estudo de quantificação de glifosato na urina de voluntários, realizado em 2018. Os valores médios detetados nas amostras foram de 0,35 ng/ml em julho e de 0,31 ng/ml em outubro. Os métodos de quantificação foram diferentes para cada data. Não se sabe como foi estruturada a amostra. Não se sabe como foram feitas as colheitas. Não foram referidas quaisquer contra-análises. É mais uma batalha na “guerra do glifosato”.

  • Menos de 4% dos alimentos testados a nível europeu revelam resíduos de glifosato

    Glifosato: controvérsia persistente

    Todos os anos, os Estados-membros da União Europeia (UE) têm de enviar à Autoridade Europeia de Segurança Alimentar os respetivos relatórios nacionais de controlo de resíduos de pesticidas em alimentos. Segundo disse à SIC esta Autoridade, o relatório europeu com os resultados relativos à pesquisa de pesticidas nos alimentos enviados pelos Estados-membros em 2017 está a ser finalizado e deverá ser publicado antes do verão. A mais recente informação disponível para consulta pelos cidadãos refere-se a 2016.

  • Plataforma Transgénicos Fora: manipular a opinião pública com uns ares de ciência

    Glifosato: controvérsia persistente

    Foi recentemente conhecida uma tomada de posição pública da Plataforma Transgénicos Fora, com base num suposto “estudo” conduzido por essa mesma organização acerca daquilo que chamaram “Contaminação crónica por glifosato em Portugal”. Esse “estudo” é apresentado com um ar científico, sendo ilustrado com uns gráficos de ar insuspeito. Mas é pura propaganda alarmista. O problema é que esse “estudo” não é científico. Não passou pelo crivo do normal processo da ciência.

  • Eleições em Espanha: o que dizem as sondagens
    3:46