Guerra Rússia-Ucrânia

Líder da Igreja Ortodoxa culpa orgulho gay pela guerra na Ucrânia

08.03.2022 16:51

MOSCOW, RUSSIA – NOVEMBER 04: (RUSSIA OUT) Russian President Vladimir Putin (L) and Orthodox Patriarch Kirill (R) put flowers to the monument of Minin and Pozharsky at Red Square on November 4, 2019 in Moscow, Russia. Vladimir Putin took part in celebrations at Read Square and at the Kremlin marking the National Unity Day. (Photo by Mikhail Svetlov/Getty Images)

“As marchas de orgulho gay são projetadas para demonstrar que o pecado é uma variação do comportamento humano”, diz o Patriarca Kirill.

Para o líder da Igreja Ortodoxa, as marchas de orgulho gay e os valores liberais do ocidente estão entre os motivos da invasão russa à Ucrânia. O Patriarca Kirill reforça ainda que este conflito “é muito mais importante do que a política”.

Foi no sermão de “Domingo de Perdão”, que antecede a entrada no tempo litúrgico da quaresma, que o Patriarca de Moscovo afirmou que a guerra é sobre “de que lado de Deus a Humanidade está”.

Citado pelo Moscow Times, o aliado de longa data de Vladimir Putin separa os “defensores dos eventos de orgulho gay e Governos ocidentais que os permitem” dos “valores identificados no leste pró-russo da Ucrânia”.

(Photo by KIRILL KUDRYAVTSEV/AFP via Getty Images)

Sem falar em guerra, palavra proibida pelo Kremlin, o Patriarca considera que “as marchas de orgulho gay representam um teste de lealdade” dos Governos ocidentais, que as repúblicas separatistas da região do Donbass “têm rejeitado fundamentalmente”. Isto é, para se juntar ao “clube” Ocidental, “tem de organizar uma parada de orgulho gay”. Quem resiste sofre repressão.

“As marchas de orgulho gay são projetadas para demonstrar que o pecado é uma variação do comportamento humano, disse o líder da Igreja Ortodoxa. “Se a humanidade aceita que o pecado não é uma violação da lei de Deus, se a humanidade aceita que o pecado é uma variação do comportamento humano, então a civilização humana terminará aí“, acrescenta.

Durante o sermão pede aos crentes para que orem pelos ortodoxos que sofrem em Donbass.

“Hoje os nossos irmãos em Donbass, os ortodoxos, estão a sofrer sem dúvida e só podemos estar com eles, especialmente na oração“, sublinhou o Patriarca Kirill.

Ao mesmo tempo, “devemos rezar para que a paz chegue o mais rápido possível, para que o sangue dos nossos irmãos pare, para que Deus incline a sua misericórdia para a sofrida terra do Donbass, que deu este triste sinal para oito anos, gerados pelo pecado e ódio humanos”.

SAIBA MAIS

Em direto: acompanhe a emissão da SIC Notícias

A PÁGINA CONFLITO RÚSSIA-UCRÂNIA

Últimas Notícias