Guerra Rússia-Ucrânia

“Estou aqui a defender a minha família”: soldado britânico capturado pelas tropas russas em Mariupol

“Estou aqui a defender a minha família”: soldado britânico capturado pelas tropas russas em Mariupol

Shaun Pinner é o segundo soldado britânico capturado pelas tropas russas na Ucrânia.

O ex-soldado britânico, Shaun Pinner, integrava os fuzileiros navais do país quando foi capturado pelas tropas russas em Mariupol. Um vídeo, que se desconhece quando foi filmado, foi partilhado pela televisão russa. Nele, o britânico diz que está em Donetsk.

Shaun Pinner disse que estava a lutar ao lado de fuzileiros navais ucranianos quando as forças de Vladimir Putin invadiram o país há quase dois meses. Agora, sabe-se, terá sido capturado pelas tropas russas em Mariupol.

O ex-soldado britânico de 48 anos surge visivelmente abatido no curto vídeo que foi exibido, este fim de semana, pela televisão russa. No vídeo, diz que é Shaun Pinner, cidadão do Reino Unido e que foi “capturado em Mariupol”.

“Faço parte do 36.º Batalhão de Fuzileiros Navais Ucranianos da Brigada. Estava a combater em Mariupol nas últimas cinco a seis semanas e agora estou na República Popular de Donetsk”, diz, desconhecendo-se quando o vídeo foi filmado e em que circunstâncias foi capturado.

Na semana passada, soube-se que também o cidadão britânico Aiden Aslin, de 28 anos, natural de Nottinghamshire, foi capturado. Segundo os meios britânicos, Aslin ter-se-á rendido depois de o batalhão que integrava ter ficado sem munições.

O gabinete dos Negócios Estrangeiros britânicos está em contacto com as famílias destes soldados, mas a capacidade de ação do Reino Unido neste momento de prestar assistência consular ou obter informações sobre cidadãos é muito limitada.

Pinner, natural de Bedfordshire, mudou-se para a Ucrânia há cerca de quatro anos e vivia com a mulher na região de Donbass. Em janeiro, o ex-soldado do Regimento Real Anglian disse que estava nas trincheiras a 16 quilómetros de Mariupol.

“Estou aqui a defender a minha família e a minha cidade adotiva. A Rússia começou esta guerra. É financiada pela Rússia e dirigida pela Rússia, mas vamos combatê-los, não se enganem sobre isso”, disse Pinner em declarações ao jornal Daily Mail.

Nesta entrevista, Pinner admitiu temer pela vida se fosse capturado: “Os russos deverão tratar-nos de maneira diferente se formos capturados porque somos britânicos. Isso está sempre na minha cabeça, que eu serei capturado.”

Mais de mil soldados ucranianos renderam-se

A Rússia adiantou, na semana passada, que mais 134 combatentes se renderam na noite de quarta-feira em Mariupol, aumentando para 1.160 o número de militares ucranianos que “voluntariamente” depuseram as armas naquela cidade, segundo o Ministério da Defesa russo.

“Durante a operação para libertar a cidade de Mariupol, mais 134 militares ucranianos, incluindo 14 oficiais, depuseram as suas armas e renderam-se durante a noite”, disse o porta-voz militar russo, Igor Konashenkov.

“Em apenas um dia, renderam-se 1.160 militares ucranianos da 36.ª brigada de infantaria da Marinha. Entre os quais, 176 oficiais”, referiu o porta-voz do Kremlin.

COM LUSA

Veja também

Saiba mais

Últimas Notícias
Mais Vistos