Guerra Rússia-Ucrânia

O impacto da guerra na crise alimentar mundial

FILE – In this Dec. 7, 2014 file photo, people carry food aid from the United Nations World Food Program agency, dropped by a British Navy helicopter after it made a food drop on Sherbro Island, Sierra Leone. On Friday, Oct. 9, 2020 the WFP won the 2020 Nobel Peace Prize for its efforts to combat hunger and food insecurity around the globe. (AP Photo/Michael Duff, file)
FILE – In this Dec. 7, 2014 file photo, people carry food aid from the United Nations World Food Program agency, dropped by a British Navy helicopter after it made a food drop on Sherbro Island, Sierra Leone. On Friday, Oct. 9, 2020 the WFP won the 2020 Nobel Peace Prize for its efforts to combat hunger and food insecurity around the globe. (AP Photo/Michael Duff, file)

Um tema em análise na SIC Notícias.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse esta quinta-feira estar pronto para ajudar a “superar a crise alimentar” provocada pelo bloqueio de cereais ucranianos e russos devido à guerra na Ucrânia, se as sanções ocidentais contra Moscovo forem levantadas.

A Rússia “está pronta para dar uma contribuição significativa para superar a crise alimentar através da exportação de grãos e fertilizantes, sujeita ao levantamento de restrições politicamente motivadas pelo Ocidente”, disse Putin, de acordo com um comunicado do Kremlin, durante um telefonema com o primeiro-ministro de Itália, Mario Draghi.

A Ucrânia, grande exportadora de cereais, especialmente milho e trigo, viu a sua produção bloqueada devido ao conflito.

Por seu lado, a Rússia, outra potência cerealífera, não pode vender a sua produção e os seus fertilizantes por causa das sanções ocidentais que afetam os setores financeiro e logístico. Ambos os países produzem um terço do trigo do mundo.

O tema esteve em análise na SIC Notícias, com a análise do economista Luís Aguiar-Conraria e de Pedro Graça, diretor da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.

Últimas Notícias
Mais Vistos