Guerra Rússia-Ucrânia

Vitorino atua na Festa do Avante "muito livre" e com posição sobre a guerra que "não é coincidente" com a dos partidos

Loading...

O artista assume ter "o coração no lado esquerdo", mas garante ter uma opinião "muito crítica em relação à guerra e aos beligerantes".

Alguns dos artistas que vão atuar na Festa do Avante estão a ser alvo de insultos e ameaças. A posição do PCP em relação à guerra na Ucrânia está na origem das críticas. Nenhum dos músicos cancelou a atuação e muitos reafirmam a vontade de atuar na Quinta da Atalaia, em setembro. É o caso de Vitorino Salomé que, em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, assume ter o coração "do lado esquerdo" e uma posição muito própria sobre a guerra na Ucrânia.

“O voto em Portugal é secreto, os apoios que a gente terá ou não terá podem ser de alma e não serem muito expressivos. Mas o facto de ir à Festa do Avante é porque tenho o coração no lado esquerdo. Claramente não estou a iludir ninguém", afirma o artista. "Não sou militante de partido nenhum e, quando sou convidado, sei para onde vou e vou com grande naturalidade e grande prazer. A Festa do Avante é uma festa muito diferente das que acontecem durante o verão, é muito focada nas músicas portuguesas, latinas, latino-americanas”

Quando questionado se a sua posição perante a guerra entre a Rússia e a Ucrânia coincide com a manifestada pelo PCP, Vitorino Salomé mega, afirmando que a sua posição “não é coincidente com nenhum partido português”. “Eu tenho uma posição muito crítica em relação à guerra e aos beligerantes que estão no teatro de guerra e ponho-os muitas vezes ao mesmo nível”, explica, sublinhando que prefere seguir a “opinião do Papa Francisco”.

“Vou [atuar na Festa do Avante] muito livre e tento ser um improvisador – se calhar pertinente, às vezes. Sei que sou muito contra a guerra e que estou profundamente solidário com os povos que estão na guerra. Porque todos os lados da guerra têm as grandes vítimas que são os soldados. A juventude ali está a ser completamente arrasada de todos os lados. Isso eu lamento muito”, prossegue.

Em relação aos comentários feitos por José Milhazes e por Henrique Raposo sobre os artistas que aceitam atuar na Festa do Avante, Vitorino Salomé diz que ambos os comentadores são “engraçados”. Já perante a polémica que envolve Pedro Abrunhosa, o artista parafraseia José Afonso para dizer: “eu sou o meu próprio comité central”.

“Parece-me também que há muitos equívocos em relação ao PCP, porque muita gente que critica o acha que a União Soviética ainda existe. Isso é um equívoco muito grande. A União Soviética já acabou, os partidos comunista ou desapareceram ou têm as suas posições e o PCP tem a deles. Eu não sou crítico de quase nenhum partido”, remata.

Últimas Notícias
Mais Vistos