Guerra Rússia-Ucrânia

Zelensky pede sanções contra a indústria nuclear russa

Zelensky pede sanções contra a indústria nuclear russa
LUDOVIC MARIN
O Presidente ucraniano acusou as Moscovo de usar a área de Zaporijia para bombardearem as cidades vizinhas de Nikopol e Marhanez.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu sanções contra a indústria nuclear russa devido à "ameaça" sobre a central nuclear de Zaporijia, a maior da Europa, ocupada pela Rússia e alvo de vários ataques na última semana.

A Rússia está "a tentar intimidar" a população usando a central de Zaporijia, Zelensky disse no sábado à noite, no seu discurso diário em vídeo dirigido ao país.

As tropas russas "organizam constantes provocações com bombardeamentos ao território da central nuclear e tentam empurrar forças adicionais nessa direção para chantagear ainda mais o nosso Estado e todo o mundo livre", disse o líder ucraniano.

Zelensky acusou as forças russas de usarem a área de Zaporijia para bombardearem as cidades vizinhas de Nikopol e Marhanez.

Essas ações, avisou o chefe de Estado, elevam "a ameaça radioativa à Europa a níveis que não existiam mesmo nos momentos mais difíceis de confronto durante a Guerra Fria". Zelensky pediu uma "reação dura".

"Diplomatas ucranianos e representantes de estados parceiros farão todo o possível para garantir que as novas sanções contra a Rússia necessariamente bloqueiem a indústria nuclear russa", disse.

Loading...

O Presidente ucraniano também exigiu que os envolvidos no que chamou de "operação de chantagem com a central nuclear" respondam perante um tribunal internacional.

"Qualquer soldado russo que dispara contra a central ou dispara sob a cobertura da central deve entender que está a tornar-se um alvo especial para a nossa secreta, para os nossos serviços especiais, para o nosso exército", acrescentou Zelensky.

Horas antes, Kiev e Moscovo tinham voltado a trocar acusações sobre a central de Zaporijia."Limitai a vossa presença nas ruas de Energodar! Recebemos informações sobre novas provocações da parte dos ocupantes" russos, escreveu no sábado a agência nuclear ucraniana Energoatom na rede social Telegram, ao republicar uma mensagem de um dirigente local da cidade, onde se situa a central nuclear, que se manteve fiel a Kiev.

As autoridades russas instaladas nas zonas ocupadas da região de Zaporijia acusaram por seu lado as forças ucranianas de estarem na origem dos disparos.

"Energodar e a central nuclear de Zaporijia estão novamente sob fogo dos militantes [de] Zelensky", escreveu no Telegram um membro da administração militar e civil pró-russa, Vladimir Rogov.

Últimas Notícias
Mais Vistos