Guerra Rússia-Ucrânia

Biden pede ao Congresso 11,7 mil milhões de dólares para ajuda adicional à Ucrânia

Biden pede ao Congresso 11,7 mil milhões de dólares para ajuda adicional à Ucrânia
STEFANI REYNOLDS
O Presidente dos EUA pede ainda dois mil milhões para reduzir o custo da energia.

A administração norte-americana reforçou o compromisso com a Ucrânia, solicitando ao Congresso 11,7 mil milhões de dólares para assistência económica e de segurança daquele país e 2.000 milhões de dólares para reduzir o custo da energia nos Estados Unidos.

Em maio, o Senado dos EUA já havia aprovado 40 mil milhões de dólares (cerca do mesmo valor em euros ao câmbio atual) em ajuda militar e humanitária à Ucrânia para enfrentar a guerra desencadeada pela invasão russa, valor que foi autorizado após esgotado o pacote de 13,6 mil milhões autorizado em março.

"O Presidente Biden deixou claro que os Estados Unidos estão comprometidos em continuar a ajudar o povo da Ucrânia na defesa da sua soberania. Para cumprir esse compromisso, estamos a solicitar 11,7 mil milhões de dólares em assistência económica e de segurança para o primeiro trimestre do ano fiscal de 2023", diz a Casa Branca.

O pedido foi expresso em vésperas de o Congresso retomar as atividades as atividades após as férias de verão.

A ajuda militar à Ucrânia visa reforçar a defesa daquele país a curto e longo prazo e já se concretizou, entre outros, com munições, diversos tipos de drones ou veículos táticos. O ano fiscal começa em outubro.

"Assim como no atual ano fiscal, estamos confiantes de que o Congresso irá chegar a um acordo de financiamento que irá beneficiar o povo americano. Mas faltando um mês para o ano fiscal, está claro que primeiro precisará aprovar uma resolução de curto prazo para manter o governo federal a funcionar", escreveu Shalanda Yung, diretora do departamento de gestão e orçamento da Casa Branca no seu blog.

O pacote de ajuda à Ucrânia faz parte dessa resolução de curto prazo e inclui pedidos para outras três emergências: varíola dos macacos, covid-19 e recuperação de desastres naturais.

Orçamento para covid-19 e varíola dos macacos também irá ser reforçado

A Casa Branca admite que a luta contra a pandemia de covid-19 precisa de fundos adicionais e avalia o valor em 22,4 milhões de dólares para responder às necessidades de curto prazo, desde a preparação para futuras variantes até a aceleração da investigação e desenvolvimento de vacinas e tratamentos.

O governo também pede 3,9 milhões de dólares para garantir que a população americana tenha acesso a vacinas, testes e tratamentos contra a varíola, e outros 600 milhões de dólares para ajudar a combater a doença em todo o mundo.

Os Estados Unidos acumulam o maior número de casos globais de varíola dos macacos, com 19.962, de um total de cerca de 53.000, segundo dados desta sexta-feira dos Centros de Controle de Doenças (CDC). A primeira morte no país de uma pessoa com varíola foi registada no final de agosto no Texas.

O pedido de mais 6.500 milhões para lidar com desastres naturais como secas, inundações e incêndios eleva o total de recursos solicitados pelo executivo democrata para 47.100 milhões de dólares. "Este governo irá continuar a trabalhar com membros de ambos os partidos no Congresso para atender a essas necessidades críticas do povo americano. Esperamos chegar a um acordo de financiamento bipartidário", conclui a nota divulgada.

Últimas Notícias
Mais Vistos