Incêndio na Notre-Dame

Autoridades interrogam cerca de 30 pessoas após incêndio na catedral de Notre-Dame

CHRISTOPHE PETIT TESSON / POOL

Cerca de 50 investigadores estão a trabalhar neste caso.

As autoridades judiciais de Paris afirmaram esta terça-feira que interrogaram cerca de 30 pessoas, após o incêndio na catedral de Notre-Dame, na capital francesa.

A maioria dos interrogados foram operários que trabalhavam nas obras de reabilitação do monumento com cerca de 850 anos, no centro de Paris.

Um funcionário judicial, sob anonimato, disse à agência Associated Press, que os alarmes de incêndio da catedral soaram duas vezes na segunda-feira.

Na primeira vez, algumas pessoas, incluindo um oficial de bombeiros permanentemente no local, foram verificar o teto e não terão observado nada. A segunda vez, já era tarde porque o incêndio era muito forte, disse a mesma fonte.

Segundo a mesma fonte, cerca de 50 investigadores estão a trabalhar neste caso, mas não estão autorizados a entrar no monumento, por razões de segurança.

Os investigadores do incêndio analisam a possibilidade de o fogo ter começado ao nível do andaime das obras de renovação no telhado e foi aberto um inquérito por "destruição involuntária por fogo".

O incêndio na Catedral de Notre-Dame começou na segunda-feira, cerca das 18:50 locais (17:50 em Portugal), e demorou cerca de 15 horas até ser extinto, tendo causado ferimentos a um bombeiro. As chamas destruíram o pináculo e uma grande parte do telhado da catedral.

O ministro francês da Cultura, Frank Riester, garantiu hoje que ficou a salvo o tesouro da Catedral de Notre-Dame.

Numa entrevista à radio France Inter, o responsável indicou que as relíquias do tesouro, nomeadamente a coroa de espinhos que os católicos acreditam ter sido usada por Jesus Cristo na crucificação, e a túnica de São Luís, que foi o rei Luís IX de França, foram resgatadas e "estão seguras na Câmara Municipal" de Paris.

A tragédia de Notre-Dame gerou mensagens de pesar e de solidariedade de chefes de Estado e de Governo de vários países, incluindo Portugal, bem como do Vaticano e da ONU.

O Presidente francês, Emmanuel Mácron, prometeu que a catedral do século XII será reconstruída.

A estrutura da catedral de Notre-Dame "mantém-se bem" após o incêndio, mas foram identificadas "vulnerabilidades" no edifício e a "preocupação principal agora" é com a sua segurança, nomeadamente ao nível da abóbada, disse hoje o secretário de Estado do Interior francês, Laurent Nuñez.

Vários ministros franceses reuniram-se hoje sob a liderança do chefe de Governo, Edouard Philippe, para preparar um "plano de reconstrução" da catedral, segundo a agência France-Presse.

"Majestoso e sublime edifício", como escreveu em 1831 o escritor francês Victor Hugo, a catedral de Notre-Dame foi edificada em 1163 e iniciou a função religiosa em 1182, embora os trabalhos de construção tenham prosseguido até 1345, e posteriormente foi acrescentada ou alterada ao gosto das sucessivas épocas.

Lusa

  • Eleições em Espanha: o que dizem as sondagens
    3:46