Incêndio na Notre-Dame

França investiga possibilidade de neglicência no incêndio na Notre Dame

Gonzalo Fuentes

Investigação preliminar está concluída.

As autoridades francesas estão a investigar a possibilidade de um cigarro “mal apagado” ou uma falha elétrica estarem na origem do incêndio na catedral de Notre Dame, em Paris, a 15 de abril, avança a France Press.

Segundo a agência noticiosa, a investigação preliminar concluiu que não há elementos que apontem para origem criminosa, mas está a ser investigada a possibilidade de neglicência.

Em comunicado, a procuradoria de Paris explicou que “as investigações realizadas até à data não foram capazes de determinar as causas do incêndio (…). Investigações mais profundas (…) terão agora que ser conduzidas”.

A tragédia de Notre Dame

A catedral encontrava-se em obras de restauro no seu exterior quando, a 15 de abril, deflagrou um violento incêndio que demorou cerca de 15 horas a ser extinto e se prolongou pela noite dentro.

As chamas acabaram por destruir o pináculo e grande parte do telhado do monumento, além de parte do acervo artístico no interior.

O socorro valeu aos Sapadores-Bombeiros de Paris o Prémio Europa Nostra para o património, pelo reconhecimento do seu papel no combate ao fogo.

A reconstrução

O Governo francês quer acelerar o processo de reconstrução da catedral onde estão a trabalhar cerca de 1.100 arquitetos e especialistas em patrimónios franceses e estrangeiros.

As degradações provocadas no edifício pela grande quantidade de água utilizada pelos bombeiros e o estado das obras de arte que se encontram no seu interior constituem a atual prioridade para as equipas envolvidas na recuperação da catedral.

O presidente francês, Emmanuel Macron, definiu como objetivo reconstruir a catedral em cinco anos.