Incêndios em Portugal

Governo não prolonga situação de alerta devido aos incêndios

Governo não prolonga situação de alerta devido aos incêndios
Horacio Villalobos/Getty Imagens
A situação de alerta termina, por isso, às 23:59 desta terça-feira.

O Governo decidiu esta segunda-feira não prolongar a situação de alerta no país devido ao risco de incêndio florestal.

Reunidos na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o ministro da Administração Interna e a secretária de Estado da Proteção Civil com os membros das áreas governativas da Defesa, do Trabalho, da Saúde, do Ambiente e da Agricultura e Alimentação, reavaliaram as medidas adotadas devido ao risco de incêndio.

Em função deste quadro de melhoria significativa a partir de quarta-feira das condições meteorológicas, entendemos que era possível aliviar as restrições associadas ao perigo de incêndios rurais e decidimos, por isso, não prolongar a situação de alerta

A situação de alerta foi anunciada na sexta-feira passada pelo ministro da Administração Interna e termina, assim, às 23:59 de terça-feira.

Até lá é proibido circular em florestas e fazer queimadas, assim como existem limitações no uso de máquinas agrícolas. Uma das medidas que também foi anunciada foi o reforço do patrulhamento para evitar novos incêndios.

Apesar de não prolongar a situação de alerta, o Governo sublinha que é necessário continuar a ter "especiais cuidados" pelo que a Proteção Civil mantém o país em alerta laranja em 16 distritos na terça-feira e em cinco distritos na quarta-feira.

José Luís Carneiro adiantou ainda que vão manter-se em "funções de patrulhamento e fiscalização 300 patrulhas diárias da GNR".

A Proteção Civil, acrescentou, fará o pré-posicionamento de meios terrestres e aéreos consoante o risco no território e "manterá, como é regular, a sua avaliação diária para, em função das necessidades e das alterações das previsões meteorológicas poder adaptar e ajustar a resposta às necessidades que venham a ser diagnosticadas e que resultam das condições no terreno".

A lista de medidas preventivas:

  • Proibição de queimadas;
  • Proibição do uso de fogo-de-artifício;
  • Proibição de circulação e permanência em espaços e caminhos florestais;
  • Realização de trabalhos com máquinas (com exceção de trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e sejam adotadas medidas de mitigação de risco de incêndio, trabalhos de colheita de culturas agrícolas e trabalhos florestais matinais de corte e transporte, desde que comunicados à entidade competente).
Últimas Notícias
Mais Vistos