Incêndios na Amazónia

Movimento sugere que Europa vete a compra de carne, soja e madeira proveniente da Amazónia

Ueslei Marcelino

O número de incêndios no Brasil aumentou 83% este ano.

O movimento brasileiro dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) considera que a melhor medida que a Europa pode tomar para acabar com os incêndios na Amazónia será deixar de comprar carne, soja e madeira produzidas naquela região.

"A Europa não precisa de ameaçar com a internacionalização da Amazónia. O que tem de fazer é parar de comprar madeira, soja e carne provenientes da Amazónia", disse à agência Efe o principal líder do MST do Brasil, João Pedro Stédile, desde o Haiti, onde participa num fórum internacional de esquerda.

O líder do movimento rural defende outras medidas, incluindo manter um fundo para a Amazónia para financiar projetos na região e "criar alternativas económicas" para impedir que agricultores e criadores de gado optem por abater a floresta.

Segundo Stédile, o MST preconiza, juntamente com a organização não-governamental (ONG) Greenpeace, que se alcance "um grande acordo nacional" no Brasil para atingir a "desflorestação zero, não cortar a mínima área" de floresta.

Sobre o grande número de incêndios ocorridos nas últimas semanas no Brasil, João Pedro Stédile culpou diretamente o Governo liderado por Jair Bolsonaro.

"A gravidade da situação é responsabilidade direta do Governo de Bolsonaro", afirmou o principal líder do MST.Na sua avaliação, os grandes latifundiários, que fazem parte da base dos eleitores de Bolsonaro, "sentiram-se protegidos" pelo chefe de Estado, porque "lhes prometeu acabar com o sistema fiscalização e lhes disse que permitiria a desflorestação".

O dirigente do MST referiu também que a situação dos trabalhadores rurais na região da Amazónia é "uma tragédia" porque Bolsonaro "prometeu - e está a cumprir - acabar com todas as políticas públicas em relação aos camponeses".

"Na época de Lula da Silva e Dilma Rousseff (ex-Presidentes brasileiros do Partido dos Trabalhadores) havia créditos, programas de compra de alimentos, programas para levar eletricidade e escolas para as áreas rurais. (Bolsonaro) acabou com todos os programas públicos que existiam", observou Stédile.

Porque arde a Amazónia?

O número de incêndios no Brasil aumentou 83% este ano, em comparação com o período homólogo de 2018, com 72.953 focos registados até 19 de agosto, sendo a Amazónia a região mais afetada.

A Amazónia é a maior floresta tropical do mundo e possui a maior biodiversidade registada numa área do planeta.

Tem cerca de 5,5 milhões de quilómetros quadrados e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (pertencente à França).

Lusa