Jogos Olímpicos

Comité Olímpico analisa protesto de atleta norte-americana no pódio

FRANCK ROBICHON

A atleta já respondeu: “Deixem-nos tentar tirar-me esta medalha”.

O Comité Olímpico Internacional está a analisar o gesto feito pela atleta norte-americana Raven Saunders no pódio, uma potencial violação das regras que proíbem protestos.

Este domingo, na prova em que a portuguesa Auriol Dongmo terminou em quarto, a norte-americana conquistou a medalha de prata. Quando subiu ao pódio, cruzou os braços sobre a cabeça, numa demonstração que, segundo a própria, representa "o cruzamento onde se encontram todas as pessoas oprimidas".

A atleta de 25 anos, que luta contra uma depressão e assumiu ter ponderado tirar a própria vida em 2018, explicou que um dos seus objetivos é “dar uma plataforma a quem não tem voz”.

No mês passado, o Comité Olímpico Internacional relaxou a regra que proibia os atletas de qualquer tipo de protesto, permitindo-lhes agora que o façam desde que não prejudiquem ou desrespeitem os colegas. Ainda assim, manteve as sanções para protestos no pódio.

No domingo, a atleta reagiu nas redes sociais, escrevendo: “Deixem-nos tentar tirar-me esta medalha”.