Jogos Olímpicos

Laurel Hubbard, a atleta que fez história nos Jogos Olímpicos apesar dos maus resultados

MICHAEL REYNOLDS

A halterofilista afirma que não esperava o mediatismo que a envolveu.

A halterofilista Laurel Hubbard fez história ao tornar-se a primeira mulher transgénero a competir nos Jogos Olímpicos, mas acabou eliminada esta segunda-feira, depois de ter falhado as três tentativas de levantamento de peso na categoria feminina de +87 kg.

A neozelandesa, de 43 anos, despede-se das Olimpíadas afirmando que não esperava o mediatismo que inevitavelmente a envolveu e diz-se feliz por poder regressar à vida normal, fora do olhar do público.

"Tudo o que eu sempre quis foi ser eu própria. Estou extremamente agradecida pela oportunidade de poder estar aqui e ser eu. (...) Este tipo de situações são sempre muito difíceis para mim e, embora reconheça que o meu percurso desportivo é um tópico de considerável interesse para alguns, de certa forma estou ansiosa para que este seja o fim da minha jornada como atleta e da atenção que daí advém", revelou à Associated Press.

Esta foi a primeira vez que um atleta transexual participou nos Jogos Olímpicos, depois de, em 2015, o Comité Olímpico Internacional ter alterado as regras para permitir que qualquer atleta transgénero competisse, desde que os seus níveis de testosterona estivessem abaixo de 10 nanomoles por litro durante, pelo menos, os 12 meses anteriores à a competição.

Laurel Hubbard conquistou uma medalha de prata no campeonato mundial de 2017, mas esteve afastada das competições durante um ano e meio devido à pandemia da covid-19.

A SIC EM TÓQUIO

CONSULTE AQUI O MEDALHEIRO OLÍMPICO