Legislativas 2019

Pardal Henriques é candidato às legislativas pelo partido de Marinho Pinto

Pedro Pardal Henriques vai concorrer às eleições legislativas nas listas do PDR, partido de Marinho e Pinto. Porta-voz do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas vai integrar as listas do PDR.

"Pardal Henriques vai ser candidato pelo PDR, mas na altura própria divulgaremos o círculo eleitoral por onde se candidatará", disse aos jornalistas o advogado e ex-deputado europeu, depois de entregar a lista dos candidatos pelo círculo eleitoral do Porto.


Marinho e Pinto assumiu que ter Pardal Henriques nas listas é um "grande orgulho" porque ele foi a "imagem e a cara de um combate sindical extremamente importante por ter fugido ao controlo que os aparelhos partidários têm sobre o sindicalismo em Portugal".

"Portanto, isto é de enaltecer e de elogiar", frisou.


O advogado do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, foi noticiado como sendo o cabeça-de-lista do PDR pelo circulo eleitoral de Lisboa, cabendo a Marinho e Pinto a primeira posição pelo Porto.


Em outubro de 2015, o PDR foi a sétima força política mais votada nas eleições legislativas, com 1,14% (61.632 votos), atrás do PAN, que elegeu um deputado.

O Presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas não quer comentar a candidatura de Pardal Henriques às legislativas.


Francisco São Bento chegou a dizer que o representante do sindicato teria rejeitado o convite do partido de Marinho e Pinto.

No entanto, Pardal Henriques já confirmou o convite para encabeçar a lista do PDR a Lisboa, deixando de ser porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas para "não misturar o que poderia ser interpretado como campanha eleitoral".

"Face ao exposto, e para que pelo menos a minha agenda fique esclarecida, (faltando esclarecer a do porta-voz da ANTRAM e das suas nomeações pelo PS), venho por este comunicar que a partir deste momento não serei mais o porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas, por forma a não misturar o que poderia ser interpretado como campanha eleitoral."