Legislativas 2019

Aliança “ocupa” sede da ERC em ação de protesto

"É uma luta pela liberdade de imprensa, pelo direito de informar e ser informado", diz Pedro Santana Lopes. Protesto esta terça-feira juntou meia centena de militantes da Aliança à sede da ERC. Santana que promete levar o protesto às "instâncias internacionais"

Cerca de meia centena de militantes da Aliança e candidatos do partido às eleições legislativas estão esta tarde na sede da Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), numa ação de "ocupação pacífica", nas palavras de um dos envolvidos no protesto. Os ocupantes exigem ser recebidos por um responsável da ERC e receber garantias de que a campanha do partido terá atenção dos órgãos de comunicação social, ao contrário do que, dizem, tem acontecido.

Ao que o Expresso apurou, os representantes da Aliança não tinham qualquer reunião marcada com a ERC - limitaram-se a dirigir-se à sede da entidade, em Lisboa. Pedro Santana Lopes juntou-se ao protesto, quando os militantes do partido já estavam sob a ameaça de ser chamada a polícia para evacuar o local.

"Estamos numa luta pela liberdade de imprensa, pelo direito a informar e ser informado", disse Santana Lopes ao Expresso, num contacto telefónico quando se dirigia para o local. Queixando-se de que o seu partido tem sido alvo de um apagão mediático, Santana promete que levará o seu protesto "às entidades internacionais", caso as autoridades portuguesas não sejam capazes de garantir cobertura mediática e igualdade de oportunidades à Aliança.

"Se é a ERC, a ERC que faça alguma coisa!"

Entre outras razões, Pedro Santana Lopes denuncia a existência de debates para as legislativas com os líderes dos pequenos partidos. "Nem que se fizessem debates em agosto nos canais de cabo. Mas o que se vê é só futebol, futebol, futebol... Eu até gosto de futebol, mas isto é demais", diz o líder do Aliança.

Outro exemplo dado por Santana sobre o silenciamento da atividade do seu partido são as oito semanas temáticas que levou a cabo, sem "uma única televisão" - agora, acrescenta, "o primeiro-ministro vai à Nacional 2, e são notícias todos os dias"...

O Aliança já contactou a Comissão Nacional de Eleições e o Presidente da República, para pedir a intervenção nesta questão, mas ouviu sempre a mesma resposta: deve ser a ERC a garantir o equilibrio da informação. "Então, se é a ERC, a ERC que faça alguma coisa!", reage Santana. "O que impressiona é a incapacidade de alguém fazer alguma coisa", acrescenta, chamando a atenção, em particular, para a RTP, por ter "obrigações acrescidas de serviço público".

Já na campanha das eleições europeias o Aliança se tinha queixado da falta de atenção de que foi alvo por parte da comunicação social em geral, e das televisões em particular - no caso da ERC, Santana ainda continua à espera de uma posição. "Isto é demais. As europeias foramhá três meses..." E, para as legislativas, só faltam cinco semanas.