Legislativas 2019

António Costa e Rui Rio frente a frente

Veja aqui os principais momentos e reveja o debate na íntegra.

António Costa e Rui Rio estiveram esta segunda-feira frente a frente pela primeira vez num confronto televisivo no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

A três semanas das eleições legislativas, as sondagens apontam para uma vitória do PS.

A última sondagem SIC/Expresso coloca os socialistas com uma vantagem de 19 pontos sobre o PSD, o que pode ser um dos piores resultados de sempre para os sociais-democratas.

ANTÓNIO COTRIM

Os dois principais candidatos a primeiro-ministro tiveram uma hora e treze minutos para debater no único frente a frente televisivo desta campanha, que foi transmitido em direto e em simultâneo nas três televisões generalistas.

SIC

CONJUNTURA E SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA

Os líderes de PS e PSD travaram uma discussão intensa na primeira parte do debate, com Rui Rio a falar numa "oportunidade perdida" pelo país e António Costa a defender a sustentabilidade da economia.

CARGA FISCAL

O líder social-democrata falou na "maior carga fiscal de sempre" em Portugal e afirmou que o Governo baixou o IRS, mas aumentou os impostos indiretos. António Costa ripostou. Considera que houve uma "justa redução dos impostos" e acusou Rio de propor um "choque fiscal".

A temática da carga fiscal foi uma das mais marcantes do debate, com António Costa a defender que o que fez aumentar a carga fiscal foi o funcionamento da economia, com a criação de mais 350 mil postos de trabalho e o crescimento do IVA, com o aumento do consumo.

O secretário-geral do PS lembrou ainda os anos da troika.

NOVO AEROPORTO

No que diz respeito ao aeroporto do Montijo, António Costa diz que, nesta altura, voltar atrás nas negociações com a ANA significa gastos enormes para o país. Já Rui Rio aproveitou para esclarecer que não está previsto um TGV no programa eleitoral do PSD.

INVESTIMENTO PRIVADO

Ainda no plano económico, António Costa reiterou que o grande esforço do crescimento económico resultou do investimento das empresas.

O secretário-geral do PS mencionou ainda um estudo da Comissão Europeia sobre políticas fiscais, que coloca Portugal como o segundo regime fiscal mais atrativo para o investimento.

Por sua vez, o presidente do PSD defendeu que são precisas políticas públicas para que as empresas invistam e exportem. Rui Rio falou também sobre algumas propostas dos sociais-democratas nesse âmbito.

O ESTADO DA SAÚDE

Os líderes do PS e do PSD apresentaram visões opostas sobre o estado do Serviço Nacional de Saúde, com Rui Rio a defender que "está pior" do que em 2015 e António Costa a assegurar que houve progressos.

PROFESSORES E JUÍZES

Rui Rio começou por criticar a atuação do Governo perante os professores, em comparação com o aumento dos salários dos magistrados e explicou o que faria se chegasse ao Governo. António Costa replicou e acusou o adversário de ser o “líder da oposição ao Ministério Público” e de ter "uma obsessão contra a Justiça".

O tema adensou-se e os ânimos aqueceram, com o presidente do PSD a dar um exemplo concreto das diferenças salariais entre um professor do ensino secundário no topo da carreira e um juiz estagiário.

No que diz respeito aos professores, Costa deixou a garantia de que todos progredirão dois escalões em média, nos próximos quatro anos, e reiterou que o Executivo cumpriu aquilo a que se tinha proposto: descongelar as carreiras e repôr o funcionamento do contador do tempo de serviço.

JUSTIÇA NOS TRIBUNAIS E NA PRAÇA PÚBLICA

Em matéria judicial, Rui Rio pediu um Ministério Público eficaz a fazer acusações e a defender julgamentos nos tribunais., considerando "inaceitável" a dimensão que os processos ganham na praça pública.

Sobre os julgamentos em praça pública, António Costa pediu que não se confundam “problemas gerais da Justiça” com alguns processos-crime “muito mediáticos” e reconheceu que "há processos judiciais que de facto demoram um tempo excessivo".

POLÍTICAS CLIMÁTICAS

Se na maior percentagem de tempo do debate a discordância imperou, houve ainda espaço para os dois líderes partidários estarem de acordo em duas temáticas. A primeira foi a do combate às alterações climáticas.

António Costa definiu esse combate como prioridade do Governo na próxima legislatura, caso seja reeleito. Já Rui Rio apelou para uma mobilização “da direita à esquerda”, com o intuito de sensibilizar a população.

Por fim, os dois líderes partidários manifestaram-se contra a reintrodução do serviço militar obrigatório.

Veja abaixo o debate na íntegra: