Legislativas 2019

Comissário europeu Moscovici congratula Costa pela "impressionante vitória"

Rafael Marchante

"Acho que ele é um político brilhante e que este sucesso se deve ao seu talento pessoal, que é algo que é inegável, mas também ao sucesso das suas políticas."

O comissário europeu dos Assuntos Económicos e Financeiros, o socialista francês Pierre Moscovici, congratulou esta terça-feira António Costa pela "impressionante vitória" nas eleições de domingo, caracterizando-o como "um político brilhante" que foi "recompensado por cumprir".

Em entrevista de fim de mandato à agência Lusa, em Bruxelas, Pierre Moscovici aproveitou a ocasião para "congratular - enquanto comissário, enquanto socialista e enquanto amigo - a vitória impressionante de António Costa", que no passado domingo venceu as eleições legislativas de Portugal com 36,65% dos votos.

"António Costa é um antigo amigo: estivemos juntos na vice-presidência do Parlamento Europeu, em 2004, e nunca perdemos contacto. Acho que ele é um político brilhante e que este sucesso se deve ao seu talento pessoal, que é algo que é inegável, mas também ao sucesso das suas políticas", disse o responsável à Lusa.

Da mesma família política que Costa, Moscovici notou que a vitória - ainda que sem maioria - do PS representa ainda "boas notícias para o socialismo" europeu.

"Um dos meus arrependimentos, por não continuar como comissário, é não ter oportunidade de continuar a trabalhar com ele tão de perto como aconteceu nos últimos cinco anos", indicou.

Em termos económicos, Pierre Moscovici admitiu que, apesar da solidez das finanças portuguesas, o próximo executivo terá desafios ao nível da produtividade, da promoção do ambiente de negócios e do incentivo ao crescimento, para ser mais amplo e duradouro.

"Ele [António Costa] sabe-o. Ele é um exemplo do que o socialismo deve ser: que é progressivo, justo em termos sociais, mas também muito forte no que toca às finanças públicas e aberto ao investimento privado", apontou o comissário europeu.

Notando que já congratulou Costa tanto pessoalmente como através das redes sociais (nomeadamente do Twitter), por serem "mesmo amigos muito próximos", Moscovici adiantou que "o que os eleitores demonstraram no passado domingo é que houve sucesso suficiente para ser renovado e foi claro o voto de confiança".

"E eles mereceram-no", considerou numa alusão tanto à liderança de Costa, como às políticas de Mário Centeno na pasta das Finanças.

"Independentemente de ser amigo deles ou não, a verdade é que eles cumpriram. E quando um político cumpre, é recompensado", concluiu.

Antigo ministro francês das Finanças, Pierre Moscovici está prestes a terminar o mandato de comissário europeu dos Assuntos Económicos e Financeiros, cargo que assumiu em 2014, dado não fazer parte do novo executivo comunitário liderado pela francesa Ursula von der Leyen e que entra em funções no início de novembro.

Esta é a primeira parte da entrevista de Pierre Moscovici à Lusa, com a restante a ser publicada na quarta-feira.

Lusa